Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Augusto Cury: “As mulheres sofrem coletivamente por antecipação”

O escritor best-seller manda, em vídeo, um recado para as mulheres se amarem mais. Na CLAUDIA de dezembro, ele abre seu refúgio criativo.

Por Da Redação Atualizado em 2 dez 2016, 17h20 - Publicado em 2 dez 2016, 17h16

Publicado em 70 países, o psiquiatra Augusto Cury, 58 anos, é um dos maiores escritores atuais do Brasil. Seu best-seller O Vendedor de Sonhos já vendeu 2 milhões de exemplares, desde que foi lançado em 2008 e, no dia 8 de dezembro, chega a 500 salas de cinema do país o filme baseado na obra, dirigido por Jayme Monjardim. Pelo histórico de Cury, o longa, com certeza, será um sucesso.

Na CLAUDIA de dezembro, o escritor mostra sua intimidade e abre o refugio onde escreveu a maior parte das suas 47 obras. É em uma fazenda no interior paulista que ele transforma suas experiências pessoais em literatura. “É minha floresta. O retorno para mim”, afirma para a editora Patrícia Zaidan.

Leia mais: 5 perguntas para Augusto Cury

Após a entrevista, ele gravou um recado para as leitoras de CLAUDIA. “As mulheres cobram demais de si e, muitas vezes, não conseguem ter uma emoção tão harmoniosa quanto esse ambiente em que os pássaros estão cantando e as cigarras estão emitindo sons”, analisa. Assista aos conselhos de Cury para as mulheres conquistarem a saúde psíquica:

Leia também: “Nunca tivemos uma geração tão triste”

Continua após a publicidade

Na edição que leva a jornalista Renata Vasconcellos na capa, além mostrar seu paraíso criativo e relatar sobre a época em que era rejeitado por editoras, Cury fala sobre seu casamento de 33 anos com a dermatologista Suleima, sobre sua relação com as três filhas, o neto e também com Jesus Cristo. A história completa você encontra nas bancas de todo o país!

 

Continua após a publicidade
Publicidade