Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Tie-dye, a estampa da quarentena, veio para ficar

Os primeiros indícios da técnica são do século 6, mas foi nos anos 1960 que o movimento hippie a popularizou. E não há sinais de que ela vá embora tão cedo

Por Edição de moda Fabio Ishimoto/ Styling Acacio Acacio - Atualizado em 16 jul 2020, 14h02 - Publicado em 22 jul 2020, 12h00

É só olhar para os lados que lá está o tie-dye. A estampa virou febre durante o isolamento e muita gente experimentou fazer em casa. Os primeiros indícios da técnica são do século 6, mas foi nos anos 1960 que o movimento hippie a popularizou. E não há sinais de que ela vá embora tão cedo…

Paula Zago/CLAUDIA

Blusa, Tye-Connection; top e macacão, Youcom; sandálias, Manolita.

Paula Zago/CLAUDIA

Jaqueta, Iorane, no Shop2gether; blusa, ‘2Essential, no OQVestir; saia, Collab Custom Art; brincos, Lool, no OQVestir.

Paula Zago/CLAUDIA

Camisa, Collab Custom Art; top, Renner; calça, Luna Andrade; bolsa, Dior.

Continua após a publicidade
Paula Zago/CLAUDIA

Colete, Dimmy; camiseta, Mix Jeans; short, Le Lis Blanc; brincos, Gatsalosophy; anel, Brennheisen.

peças,/Divulgação

 

1. Blusa de moletom, C&A, R$ 79,99.*

2. Macacão jeans, Tommy Hilfiger, R$ 640.*

Continua após a publicidade

3. Bota de couro, Zara, R$ 399.*

4. Camisa de seda, ‘2Essential, no Shop2gether, R$598.*

5. Sandália de couro, Constance, R$ 129.*

6. Brinco de pedra e prata, Paola Vilas, R$ 1 680.*

Continua após a publicidade

7. Óculos de acetato, Ralph Lauren, na Grandvision by Fototica, R$ 449.*

 

Fotos e modelo Paula Zago (Joy)/Produção executiva Barbara Cestaro/Beleza Letícia de Carvalho/Tratamento de imagens Eddie Mendes

*Preços pesquisados em junho/2020 e sujeitos à alteração

Continua após a publicidade

 

Conversando com crianças sobre notícias ruins

 

Publicidade