Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Lady Gaga explicou por que resolveu receber prêmio usando calças

Além de ter ficado maravilhosa, a cantora e atriz mostrou como a moda pode ser uma ferramenta de libertação.

Por isabelavilla - Atualizado em 16 jan 2020, 06h45 - Publicado em 17 out 2018, 18h55

Lady Gaga

Lady Gaga escolheu usar um terno oversized da Marc Jacobs na última segunda-feira (15), em Los Angeles, para prestigiar o “Mulheres Em Hollywood”, evento organizado pela Revista Elle para celebrar e colocar luz sobre o trabalho de diversas personalidades. E não foi apenas porque ela ficou maravilhosa que ela escolheu esse look, na verdade, foi um momento de libertação para a cantora e atriz conhecida por produções fashion doidinhas (e provavelmente não muito confortáveis).

Uma das homenageadas da noite, ela fez um dos maiores discursos (cerca de 25 minutos) e, além de contar como é ser uma mulher em uma indústria dominada por homens, a estrela, uma sobrevivente de abuso sexual, abriu um espaço para falar de como a moda pode ser também uma ferramenta de empoderamento.

Para isso, contou a pequena história do motivo de ter escolhido a roupa que escolheu para receber a honraria. “Me arrumando para esse evento, eu experimentei vestido após vestido, um espartilho depois do outro, um salto após o outro, um diamante depois outro, penas, pregas, as mais belas sedas no mundo… e sendo honesta? Eu me senti muito enjoada”, disse.

Abaixo, a gente traduziu o trecho (é sério, vale a pena ler até o fim!). Confira:

Passei muito tempo pensando no que dizer nesta noite.

Me arrumando para esse evento, eu experimentei vestido após vestido, um espartilho depois do outro, um salto após o outro, um diamante depois outro, penas, pregas, as mais belas sedas no mundo… e sendo honesta? Eu me senti muito enjoada.

Continua após a publicidade

E eu me perguntei, o que realmente significa ser uma mulher em Hollywood? Nós não somos apenas objetos para entreter o mundo. Nós não somos simples imagens para trazer sorrisos e caretas para o rosto das pessoas. Nós não somos membros de um grande concurso de beleza para colocar uma contra a outra pelo prazer do público.

Nós mulheres de Hollywood, nós temos vozes. Nós temos pensamentos e ideias profundas, e valores, crenças sobre o mundo, e nós temos o poder de falar e sermos ouvidas e lutar quando somos silenciadas.

Então depois de tentar 10 ou mais vestidos, com o sentimento triste no meu coração de que tudo que importasse seria o que eu vestisse no tapete vermelho, eu vi um terno oversized Marc Jobs bem quieto no canto. Eu o coloco e me vejo no meio de vários olhos me encarando confusos. “Mas o Rodarte era tão lindo!”, um disse. “Mas o Raf Simons para Calvin Klein ficou deslumbrante em você!” disse outra pessoa.

“Mas e o Brandon Maxwell? E o Dior?”, muitas perguntas.

Eram todos vestidos. Esse era um terno oversized masculino feito para uma mulher. Não um vestido de festa. E então eu comecei a chorar.

Nesse terno, eu me senti eu hoje. Nesse terno eu senti a verdade de quem eu sou bem dentro de mim. E, então, imaginando o que iria falar ficou muito claro para mim.

Como uma sobrevivente de abuso sexual cometido por alguém de dentro da indústria de entretenimento, como uma mulher que ainda não é valente o suficiente para dizer o nome dele, como uma mulher que vive com dor crônica, como uma mulher que foi condicionada desde muito cedo a ouvir o que os homens dizem para eu fazer, eu decidi que hoje eu queria pegar o poder de volta. Hoje eu visto as calças.

Continua após a publicidade
Publicidade