Aprenda 3 drinques que fazem sucesso nos bares descolados de SP

A paulistana Beatriz Coutinho entrega os segredos para preparar drinques extravagantes que saltam aos olhos

Mulher, negra e criada na periferia de São Paulo, a chef de bar Beatriz Coutinho, 29 anos, aprendeu cedo a enfrentar desafios e preconceitos. Aos 16, começou a trabalhar em uma rede de fast-food e, aos 19, usava o salário de garçonete para custear os livros da faculdade de jornalismo, já que a bolsa de estudos não cobria o material.

Foram alguns anos até ter a chance de ser treinada para a equipe de bar de um restaurante contemporâneo badalado na capital paulista. Levou jeito e achou maneiras de imprimir às bebidas marcas pessoais. Hoje comanda as coqueteleiras das três casas do Grupo Pitico, os restaurantes Mica, Pitico e Mercedes.

beatriz-coutinho

 (Roberto Seba/CLAUDIA)

“Quando recebi o convite, quase recusei. Não me sentia apta”, conta. “Em um cenário dominado por homens, sempre tive – e ainda tenho – que me provar com muito mais afinco”, revela. Sua segurança está em pesquisar e estudar bastante antes de entregar uma nova receita.

Passou dias na Liberdade, tradicional bairro oriental de São Paulo, investigando sabores e ingredientes típicos para montar o cardápio do Mica, por exemplo. A seguir, ela compartilha essas receitas com itens exóticos, que causam grande efeito tanto em um descontraído almoço em casa quanto em uma ocasião especial.

Confira:

Satang Muu

satang

 (Roberto Seba/CLAUDIA)

Chicabô

chicabo

 (Roberto Seba/CLAUDIA)

Surya

surya

 (Roberto Seba/CLAUDIA)

Seoul

seoul

 (Roberto Seba/CLAUDIA)

Leia também: Hambúrguer de planta com gosto idêntico ao de carne chega ao Brasil

+ A pizza de bolo de cenoura é a receita perfeita para seu fim de semana

Vote e escolha as vencedoras do Prêmio CLAUDIA