Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Robinho sobre o caso de estupro: “único erro foi ter traído minha esposa”

"Esse é meu arrependimento", disse o jogador Robinho, em entrevista dada ao portal UOL. Ele também atacou o movimento feminista

Por Da Redação - Atualizado em 17 out 2020, 13h53 - Publicado em 17 out 2020, 13h01

O jogador Robinho disse, neste sábado ao UOL, que seu único arrependimento no caso em que foi condenado a 9 anos de prisão por estupro é o de ter traído a sua esposa, com quem é casado desde 2009 e tem três filhos. O jogador também atacou o feminismo, durante a entrevista: “infelizmente existe esse movimento feminista. Muitas mulheres, às vezes, não são nem mulheres”, disse.

“Eu me arrependo de ter traído a minha esposa. Esse é meu arrependimento”, disse Robinho.  Condenado em primeira instância pela Justiça italiana. O jogador admitiu ter tido contato íntimo com a jovem albanesa em 2013, mas alegou ser inocente. “A questão é: qual foi o erro que eu cometi? Qual foi o crime que eu cometi? O erro foi não ter sido fiel a minha esposa, não cometi nenhum erro de estuprar alguém, de abusar de alguma garota ou sair com ela sem o consentimento dela”, afirmou.

O caso aconteceu em uma boate de Milão chamada Sio Café, em janeiro de 2013 e a condenação por violência sexual em grupo em primeira instância veio em 2017. A vítima é uma jovem albanesa de 22 anos. Interrogado em 2014, Robinho negou a acusação, mas admitiu que manteve relação sexual com a vítima segundo ele, uma relação consensual de sexo oral e sem outros envolvidos.

Hoje, durante a entrevista o jogador voltou a alegar que a jovem consentiu:  “uma garota se aproximou de mim, a gente começou a ter contato com consentimento dela e meu também. Ficamos ali poucos minutos. A gente se tocou. Depois fui embora para casa”. 

Ele também diz que as relações sexuais entre seus amigos e a jovem tiveram o consentimento dela:  “Meus amigos me contaram no outro dia que, com consentimento da garota, ficaram com ela, se relacionaram sexualmente porque ela quis. E que eles saíram daquela discoteca junto com a mesma garota e foram para outra discoteca. Foi o que eles me falaram”, afirmou.

Robinho não quis comentar as gravações telefônicas divulgadas em reportagem divulgada pelo GE, na sexta-feira: “tem muitas coisas que estão fora de contexto e que eu gostaria de te dar uma entrevista de uma forma mais ampla e explicar exatamente o que aconteceu. Mas como isso está em segredo de justiça, eu não posso falar exatamente”, afirmou. 

Uma reportagem publicada ontem pelo GE mostrou interceptações telefônicas realizadas contra os envolvidos, com a permissão da Justiça italiana, ao longo da investigação do caso foram cruciais para o veredito, em 2017.  Horas depois da divulgação do conteúdo das conversas, o jogador anunciou a suspensão do contrato com Santos. A contratação do jogador havia gerado revolta e pressão por parte das marcas patrocinadoras do clube.  Entenda todo o caso aqui.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade