“Mulheres são espertas e fortes. Não são brinquedos sexuais ou donzelas em perigo”

Shonda Rhimes se tornou a primeira mulher a vencer o prêmio Norman Lear, por realização na TV, do Sindicato dos Produtores dos Estados Unidos, e fez um discurso de arrepiar

Shonda Rhimes, de 46 anos, produtora e roteirista séries de TV bem-sucedidas, como How to Get Away with Murder, Grey’s Anatomy e Scandal, começou o seu discurso mostrando a que veio: “Vou ser totalmente honesta com vocês: eu mereço isto completamente”.

Ela se tornou a primeira mulher a vencer o prêmio Norman Lear, por realização na TV, do Sindicato dos Produtores dos Estados Unidos (PGA), no último sábado (23).

Rhimes tem uma carreira de quase 20 anos e, além disso, é um ícone da TV norte-americana e do poder feminino; tanto pelo sucesso pessoal, quanto por suas protagonistas fortes e, frequentemente, mulheres negras.

“Contra todas as chances, eu tenho, corajosamente, sido pioneira na arte de escrever sobre pessoas de cor como se fossem seres humanos. Bravamente, dei papéis a atores que fossem os melhores. Destemidamente, eu encarei a ABC quando eles concordaram completamente comigo que Olivia Pope [protagonista de Scandal, vivida por Kerry Washington] fosse negra. E levantei minha espada heroicamente e a abaixei de novo quando Paul Lee [presidente da ABC] nunca mais me confrontou por causa de qualquer uma de minhas escolhas para contar histórias”, disse.

Ela também destacou a participação feminina em suas produções e no meio do entretenimento.

“Mulheres são espertas e fortes. Não são brinquedos sexuais ou donzelas em perigo. Pessoas de cor não são audaciosas ou perigosas ou sábias. E, acreditem em mim, na vida real, pessoas de cor não são companheiras de ninguém”, em referência ao fato de que, frequentemente, os personagens negros são coadjuvantes.

E continuou com seu discurso arrasador:

“Então, basicamente, vocês estão me dando um prêmio por eu ser eu mesma, que no caso eu totalmente mereço. Realmente, estou honrada por recebê-lo. O respeito deste prêmio realmente significa o mundo. Só me deixa um pouco triste. Primeiro de tudo, mulheres fortes e pessoas de cor complexas era algo que [o legendário produtor de TV] Norman [Lear] fazia 40 e tantos anos atrás. Então como chegamos ao ponto de ter de refazer isso novamente? O que estamos esperando? Quer dizer, este salão está cheio de produtores, então provavelmente vocês estão esperando dinheiro”.

Falando nisso…

Foi dirigido a ela o “obrigada” da atriz (e musa) Viola Davis ao receber o Emmy pela interpretação na série “How To Get Away With Murder” – ela foi a primeira negra a levar o prêmio de Melhor Atriz Dramática. Na ocasião, ela agradeceu Shonda pela oportunidade. “A única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra pessoa é a oportunidade. Você não pode ganhar um Emmy por papéis que simplesmente não existem”, lembrou.