Clique e assine com até 75% de desconto

Luiza Brunet relembra agressões: “não queria fazer parte da estatística”

Há dois anos, a ex-modelo e empresária foi vítima de agressões do ex-marido Lírio Parisotto

Por Maria Beatriz Melero Atualizado em 22 Maio 2018, 12h01 - Publicado em 22 Maio 2018, 11h59

A ex-modelo e empresária Luiza Brunet, 55 anos, voltou a falar sobre o caso de violência doméstica que vivenciou. Em entrevista cedida ao canal no YouTube da jornalista Leda Nagle na última segunda-feira (21), Luiza comentou o que sentiu ao ser vítima de agressões do ex-marido Lírio Parisotto há exatos dois anos.

“É complicado fazer uma denúncia contra uma pessoa, um homem que você gosta. Um homem com quem você conviveu por quase cinco anos. Mas eu não queria fazer parte da estatística”, relatou Luiza.

Entretanto, a empresária, que é embaixadora do Instituto Avon para causas femininas, como o câncer de mama e violência contra a mulher. “Era um assunto que eu estava super a par, mas eu não tinha sentido com o coração, porque não tinha acontecido comigo. A minha mãe era agredida pelo meu pai, mas naquela época não se falava em violência doméstica; a mulher era [vista] propriedade do homem e ele fazia o que ele queria com ela. Era um desrespeito total com as mulheres. Então quis colocar um ponto final neste história. Porque era meu dever como cidadã.”

A história veio à tona e atualmente é conhecida pelo público. E para Luiza, os efeitos foram positivos. “Recebi uma onda de solidariedade, do Brasil inteiro, de mulheres que se encorajaram [a contar suas histórias]. Foram 67% de mulheres a mais que fizeram denúncias a mais no Ministério Público. Qualquer tipo de assédio você tem que falar, tem que expor. Tem que fazer a denúncia, mesmo que demore um, dois anos, não importa, tem que fazer. E parar com isso de esconder.”

Leia mais: Luiza Brunet: “Apanhar como apanhei, aos 54 anos, foi o pior momento que vivi”

 

Continua após a publicidade
Publicidade