Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Jamie Lynn Spears é curadora dos bens de Britney, diz a Justiça americana

Com a decisão, a irmã mais nova da cantora passa a ser a principal herdeira e terá voz ativa nos negócios

Por Da Redação Atualizado em 16 set 2020, 13h53 - Publicado em 25 ago 2020, 20h00

A justiça americana determinou hoje (25) que a irmã da cantora Britney Spears, Jamie Lynn passa a ter um papel mais significativo como curadora dos bens da estrela. No caso de morte, Jamie Lynn é a principal herdeira. A informação foi divulgada pelo site The Blast, que conseguiu acesso aos documentos.

Segundo o site, Jamie Lynn requisitou autorização para atuar como consultora financeira da empresa SJB Revocable Trust. Ela argumentou que os bens e dinheiro de Britney serão controlados como garantia para os sobrinhos, Sean e Jayden Federline. A mãe das duas, Lynne Spears, também pleiteia maior acesso à empresa.

A SJB Revocable Trust foi criada pela própria Britney, em 2004, quatro anos antes da tutela estabelecida por seu pai. A empresa administra todo o dinheiro que a cantora recebe, independente da fonte. O objetivo foi de “manter e gerenciar seus ativos financeiros materiais durante sua vida útil e fornecer distribuição desses ativos após sua morte”, segundo os documentos.

Com a tutela, os direitos provenientes da SJB foram cedidos ao pai de Britney, Jamie Spears, que controla efetivamente todos os passos e gastos da filha. Jamie está afastado temporariamente e a gerente de Britney, Jodi Montgomery, responde pela tutela, que foi estendida por pelo menos mais seis meses com Jodi mantida como a conservadora.

Com a decisão de hoje, Jamie Lynn passa a ser a herdeira oficial dos bens de Britney e terá voz ativa sobre a administração dos negócios. A mudança foi feita com a autorização do pai das duas irmãs, que assinou a autorização judicial.

Em julho, Jamie Lynn brigou com um fã de Britney nas redes sociais quando questionaram a saúde mental da cantora. “Você não tem nenhum direito de assumir qualquer coisa sobre a minha irmã e eu não tenho nenhum direito de falar da saúde dela ou da sua vida pessoal”, escreveu.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade