Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Elliot Page é o primeiro homem trans na capa da revista Time

A edição traz a primeira entrevista do ator após dividir com o público em seu Instagram a sua transexualidade

Por Da Redação Atualizado em 16 mar 2021, 16h03 - Publicado em 16 mar 2021, 14h43

Elliot Page, de 34 anos, conhecido por estrelar o filme Juno e a série The Umbrella Academy, da Netflix, é o primeiro homem transgênero a ser capa da revista Time. Esta também é a primeira entrevista concedida após ter se assumido transexual em dezembro de 2020.

“Este sentimento de verdadeira excitação e profunda gratidão por ter chegado a este ponto da minha vida, misturado com muito medo e ansiedade”, disse Elliot Page. 

De acordo com a revista, o ator assumiu sua transexualidade publicamente enquanto estava em Toronto se recuperando de uma cirurgia de mastectomia, que para Elliot era algo necessário para finalmente se reconhecer quando se olhasse no espelho.

View this post on Instagram

A post shared by @elliotpage

Page também compartilhou sua angústia por, ao longo dos anos em sua carreira, ter que se adaptar a personagens femininas. A caracterização fazia com que o ator passasse por imposições, como o uso de peruca quando estava com o cabelo curto tão desejado, deixar os fios crescerem e vestir roupas desconfortáveis, fazendo com que ele sofresse de depressão, ansiedade e com ataques de pânico.

Continua após a publicidade

Em 2014, o ator já havia se assumido homossexual, o que achava que seria impossível justamente por conta de sua carreira. Na época, ele fez um discurso em uma conferência da Campanha de Direitos Humanos afirmando que fazia parte de uma indústria “que impõe padrões esmagadores” aos atores e também aos espectadores.

“Existem estereótipos generalizados sobre masculinidade e feminilidade que definem como todos devemos agir, nos vestir e falar”, disse Elliot. “E eles não servem a ninguém.”

elliot page
TIME/Reprodução

Para amenizar essas feridas, o ator passou aceitar apenas personagens com uma caracterização que respeitasse o seu processo de identificação de gênero.

“A diferença em como eu me sentia antes de assumir o status de gay foi enorme”, disse o ator. “Mas o desconforto em meu corpo alguma vez foi embora? Não não não não.”

A decisão de mudar seu corpo veio então durante o isolamento social e após a separação da coreógrafa Emma Portner, com quem era casado desde 2018. Ele foi inspirado por ícones trans pioneiros como Janet Mock e Laverne Cox , que encontraram sucesso em Hollywood enquanto viviam autenticamente.

“Tive muito tempo sozinho para realmente focar nas coisas que penso, então de muitas maneiras, inconscientemente, eu estava evitando ”, afirmou. “Eu finalmente fui capaz de aceitar ser transgênero e me permitir se tornar totalmente quem eu sou”.

Desde sua revelação, Elliot, que aderiu a este nome como uma referência ao filme ET, pouco publicou em suas redes sociais, mas se mantém ativo na luta contra projetos e leis transfóbicos em todo o país. Sobre a representatividade nas produções hollywoodianas, ele frisa que é preciso caminhar muito.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade