Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Demi Lovato revela que overdose de 2018 causou danos cerebrais

Em consequência do abuso de drogas, a cantora e atriz teve três acidentes vasculares e um ataque cardíaco

Por Da Redação 18 fev 2021, 11h40

O trailer do documentário Demi Lovato: Dancing with the Devil, divulgado nesta quarta-feira (17), no Youtube, trouxe revelações sobre os efeitos que a overdose quase fatal, ocorrida em 2018, causou na vida da cantora e atriz Demi Lovato.

No trecho, aparecem as primeiras consequências logo após a hospitalização: a artista, hoje com 28 anos, teve três acidentes vasculares e um ataque cardíaco. São informações que nunca tinham sido reveladas.

No mesmo dia da divulgação do trailer, Demi Lovato forneceu mais detalhes de como a overdose afetou seus estados físico e emocional através de uma coletiva de imprensa para a Television Critics Association (TCA), na qual compareceu ao lado de Michael D. Ratner, diretor do documentário.

Fiquei com danos cerebrais e ainda lido com os efeitos disso hoje. Não dirijo um carro porque tenho pontos cegos na minha visão”, disse ela aos repórteres. “Eu também tive dificuldade para ler por muito tempo. Foi importante quando eu pude ler um livro, o que aconteceu dois meses depois de sair do hospital, porque minha visão estava muito embaçada.”

Demi também conta que teve que lidar com as repercussões do caso e que, hoje, elas são uma forma de lembrete para que ela não entre no mesmo lugar obscuro novamente. “Sou grata por esses lembretes, mas também por ser alguém que não teve que passar por muita reabilitação. A reabilitação veio do lado emocional” aponta a cantora.

Leia mais: Demi Lovato, durante sua recuperação, teve que lidar com boatos sobre sua vida pessoal e profissional.

Demi disse que não foram apenas as substâncias que a levaram ao seu “ponto de ruptura”, mas também “traumas passados” e as coisas que ela enfrentou na indústria artística.

Continua após a publicidade

Em entrevista a revista People, a atriz, que ficou popularmente conhecida pelo seriado Sunny entre Estrelas da Disney, contou que “não mudaria nada” sobre as consequências da overdose.

“Tudo tinha que acontecer para que eu aprendesse as lições que aprendi”, disse ela à People“Foi uma jornada dolorosa, e eu olho para trás e às vezes fico triste quando penso na dor que tive que suportar para superar o que passei, mas não me arrependo de nada.”

“Estou muito orgulhosa da pessoa que sou hoje e estou muito orgulhosa de que as pessoas vejam isso neste documentário”, acrescentou a cantora. “A principal coisa que aprendi foi falar sobre minha história e me responsabilizar. Essa é uma grande razão pela qual estou fazendo isso, mas acho que fiquei muito orgulhosa do crescimento que experimentei e algo dentro de mim estava realmente animado para compartilhar isso com as pessoas”, contou Demi ao TCA na quarta-feira.

“Contanto que eu continue a dizer minha verdade, vou fazer música que ressoa com as pessoas”, disse a artista. “Acho que meu trabalho só tem a ganhar agora que eu aprendi tanto sobre mim.”

O documentário Demi Lovato: Dancing with the Devil, produção original do YouTube, será lançado na plataforma dia 23 de março.

Confira o trailer (em inglês) na íntegra:

  • Continua após a publicidade
    Publicidade