CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Após casos de assédio moral, Ellen DeGeneres pede desculpas em “nova fase”

Na abertura da nova temporada, a apresentadora reconheceu seus erros e disse que está trabalhando para melhorar e começar "um novo capítulo"

Por Da Redação Atualizado em 23 set 2020, 13h17 - Publicado em 23 set 2020, 15h00

Ellen DeGeneres está retornando ao trabalho após as denúncias de assédio moral e racismo nos bastidores do programa Ellen. Pela primeira vez desde a polêmica, o programa voltou a ser gravado, para a sua 18ª temporada, e parece que a apresentadora está buscando mudanças pessoais para a nova fase.

Na última segunda-feira (21), durante o monólogo de abertura da 18ª temporada, Ellen se pronunciou sobre a polêmica. “Eu aprendi que coisas aconteceram aqui que nunca deveriam ter acontecido”, declarou. “Eu levo isso bem à sério e eu quero dizer que eu sinto muito por todas as pessoas que foram afetadas”, completou.

A apresentadora também reconheceu que ela está em uma “posição de privilégio e poder” e espera começar um “novo capítulo” com a nova temporada. “A verdade é que eu sou a pessoa que você vê na TV. Eu também sou várias outras coisas”, disse. “Às vezes eu fico triste, eu fico brava, eu fico ansiosa, eu fico frustrada, eu fico impaciente. E eu estou trabalhando nisso tudo.”

A polêmica começou em julho, quando atuais e ex-funcionários do programa denunciaram, ao BuzzFeed News, casos de assédio moral e de discriminação racial no set. As denúncias eram voltadas aos produtores de Ellen, não à apresentadora em si, mas os denunciantes criticaram a forma como ela não se atentou ao ocorrido.

Em agosto, durante vídeo-conferência, Ellen pediu desculpas aos seus funcionários e informou que três dos produtores acusados, Ed Glavin, Kevin Leman e Jonathan Norman, foram desligados de sua equipe. No entanto, três outros executivos que também foram acusados de assédio moral, permaneceram com seus cargos.

Assista ao vídeo completo de seu monólogo, em inglês, abaixo:

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade

Publicidade