Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Aposte no estilo vintage e pegue o charme de ontem para curtir hoje

Comandada pela moradora, a renovação do apê contou com poucas, porém decisivas, intervenções

Por Minha Casa Digital Atualizado em 19 fev 2020, 15h02 - Publicado em 6 fev 2015, 15h46

Especialista em gastronomia e em vinhos, a jornalista Luciana Barbo aprecia decoração do mesmo jeito que a bebida: adora uma safra antiguinha. Assim, móveis clássicos, cartazes de filmes dos anos 1930 a 1960 e outros elementos cheios de charme retrô têm destaque no apartamento em que ela vive há três anos e meio com o marido, o também jornalista Roberto Fonseca, e a filha, Cecília, em Brasília. Além de conferir um visual que reflete a personalidade da família, esse apreço pelo passado revela algumas vantagens econômicas. “A compra do imóvel consumiu todos os nossos recursos, por isso, para decorá-lo, reaproveitamos tudo o que pudemos”, afirma ela, que, de quebra, colocou a mão na massa.

Uma sala de estar digna das telonas

– A aparência de cimento queimado nas paredes foi conquistada com a aplicação de uma tinta que simula o visual desse material. “Dá um pouco de trabalho, mas vale a pena, pois o resultado fica lindo”, garante a jornalista.

-As superfícies receberam quadros e pôsteres que evidenciam a paixão dos moradores pela Sétima Arte – o quadro da diva Marilyn Monroe foi feito pela própria Luciana.

– A estante é formada pela combinação de duas peças iguais – a disposição desencontrada dos módulos permitiu o encaixe das laterais

– Garimpados em uma loja de móveis usados, os sofás e o par de poltronas com pés palito foram renovados com a troca dos revestimentos: suede cinza com capitonê, suede vermelho e algodão com estampa xadrez vichy

95 m² bem-resolvidos

– As posições da cozinha e da área de serviço foram invertidas. Como consequência, os moradores ergueram uma divisória de cobogós na atual lavanderia  e abriram um passa-pratos na nova cozinha.

Espaços conjugados e cheios de bossa

Continua após a publicidade

– A mesa de jantar que veio do endereço anterior teve de ser adaptada: a fim de fazê-la caber no novo local, a moradora pediu a um marceneiro que serrasse o tampo.  “Ele já estava meio riscado, e ficou sem acabamento nas laterais que receberam corte, então, aproveitei para decorá-lo”, conta Luciana, que colou fitas adesivas de várias cores

– Ao trocar de lugar com a lavanderia, a cozinha beneficiou-se da luz natural que vem do janelão e banha a novabancada em U. “Abrimos um vão na parede lateral para integrar o cômodo à sala de jantar. Não a derrubamos toda porque foi preciso preservar uma coluna”, conta.

– Luciana estava com o rolo de adesivo vinílico preto prontinho para cobrir toda a geladeira, mas achou que acabaria deixando bolhas na hora da aplicação. “Para evitar isso, pensei em fazer um padrão zebrado. Cortei faixas irregulares grandes e colei-as. Em seguida, faixas médias. Por fim, completei os espaços restantes com faixas pequenas”, explica.

– O canto para onde migrou a área de serviço era aberto para o corredor. Em vez de levantar uma parede para fechá-lo, a moradora valeu-se de cobogós de cimento, que ela mesma cobriu com massa corrida, lixou e pintou, no tom de amarelo Capa de Chuva

– Tinta e marcenaria fazem a diferença

– Cor-de-rosa era a escolha inicial da filha para tingir as paredes de seu dormitório. Mas a mãe sugeriu um matiz de azul Tiffany (ref. 660, da Coral), assim chamado em referência ao tom das embalagens da famosa joalheria nova-iorquina.

– Um móvel multiúso, feito sob medida, equipa o canto de estudos. O painel esconde a fiação da TV e do computador, ao mesmo tempo em  que integra bancada, armário, nicho para  CPU e cinco prateleiras.

– Os antigos moradores haviam unido o quarto maior a um dos banheiros, convertendo-o em suíte. Luciana e o maridoaprovaram e mantiveram a medida, assim como outras. Por exemplo: o rodateto, largo nos demais ambientes, é mais fino no quarto de casal. Isto porque o forro do cômodo foi rebaixado, a fim de ocultar o trilho da cortina. 

– O casal também acrescentou alguns toques para deixar a suíte a seu gosto. O mesmo efeito de cimento queimado presente na sala de estar foi aplicado no banheiro e em uma das paredes do dormitório – essa ganhou, ainda, um arranjo de quadros, montados com imagens que a jornalista pinçou do catálogo de uma exposição fotográfica e, então, mandou emoldurar.

– Como boa apreciadora de cinema, Luciana elegeu uma penteadeira estilo camarim. “Amo maquiagem e sempre quis um móvel assim, então mandei fazer sob medida, com tampo de vidro, gavetas com divisória, e espelho com lâmpadas”, diz. A cadeira foi adquirida em uma garage sale, tipo de evento popular em Brasília, em que as pessoas expõem em suas garagens ou jardins os objetos dos quais querem se desfazer

Continua após a publicidade
Publicidade