Criador de Asterix, Albert Uderzo, morre aos 92 anos, na França

Desenhista francês que criou um dos personagens mais cults do mundo de quadrinhos e morreu enquanto dormia

“Estamos no ano 50 antes de Cristo. Toda a Gália foi ocupada pelos romanos… Toda ? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis gauleses ainda resiste ao invasor e a vida não é nada fácil para as guarnições de legionários romanos nos campos fortificados de Babaorum, Aquarium, Laudanum e Petibonum…”

Por mais de 60 anos, os fãs de Asterix e Obelix , leram essa  frase, que abria todas as histórias do baixinho gaulês e seu companheiro grandalhão de aventuras.  Os dois personagens foram criados por René Goscinny (roteirista, falecido em 1977) e o desenhista  Albert Uderzo , que faleceu hoje (24), aos 92 anos, em Paris.

Uderzo  morreu dormindo em sua casa,, de um ataque cardíaco não relacionado ao coronavírus. “Ele estava muito cansado há várias semanas”, explicou seu genro.  Idolatrado na França e adorado mundialmente, “Asterix, o gaulês”, fez sucesso imediato e foi considerado símbolo da identidade francesa e sua resistência mesmo cercado de força maior.  

 (Chesnot/Getty Images/Getty Images)

Para gerações que não são familiares com eles, Asterix e Obelix são moradores de Gauls, um vilarejo galês ao norte da antiga Gália, que resiste à ocupação romana em 50 a.C. O povoado consegue resistir por conta de  uma poção mágica feita pelo druida Panoramix, que concede aos moradores uma superforça. Asterix é o principal deles, apesar de baixinho, porque ele  caiu dentro de um caldeirão cheio da poção quando ainda era um bebê e por isso é mais forte do que todos. As histórias são em torno desse eterno conflito entre dominadores do mundo e um povo irreverente.  Assuntos áridos e críticos eram tratados com humor sem ofender a ninguém, afinal as histórias de Asterix foram criadas para diversão, sem ter pretensão históricas.  

Espelhado em seu ídolo, Walt Disney, Uderzo fez do universo de Asterix um negócio de qualidade e lucrativo. Ganhou 9 filmes de animação, 4 adaptações live-action ( com Gérard Depardieu na pele de Obelix) e um parque temático em Plailly, nos arredores de Paris. Além disso,  “Asterix” vendeu mais de 380 milhões de cópias em 111 idiomas desde sua criação. Sua última obra foi lançada em outubro de 2019, para celebrar o 60º aniversário da primeira edição e já não contou mais com a participação de Uderzo. Desde 2009,  Uderzo, que sofria de artrose, estava afastado dos desenhos e passou a obra para artistas mais jovens, que poderão dar continuidade aos amados gauleses.