CCXP 2019: o protagonismo feminino está mais em alta do que nunca

As mulheres foram destaque no maior evento geek do mundo, que reuniu 280 mil pessoas em São Paulo.

Quem não está familiarizado com a CCXP (Comic Con Experience) provavelmente não compreende a magnitude do evento, mas a gente explica. Como o nome entrega, a feira foi criada para dar aos brasileiros “um gostinho” do que é a Comic Con – o maior evento de cultura geek do mundo, cuja edição mais importante acontece em San Diego, nos Estados Unidos.

Lançada em São Paulo em 2014, a empreitada deu MUITO certo aqui no Brasil. Hoje a versão paulistana já é a maior do mundo em termos de público. Segundo os organizadores, esse ano 280 mil pagantes circularam pela CCXP entre os dias 4 e 8 de dezembro.

E o que atrai tanta gente? Originalmente lançada como uma feira de quadrinhos (nos anos 1970, lá em San Diego), hoje a Comic Con concentra tudo que engloba o universo geek e a cultura pop do cinema e da TV. São dezenas de estandes enormes, montados por estúdios de cinema, emissoras de TV, serviços de streaming, lojas e marcas ligadas a esse universo. Há também espaços para gamers e a chamada Alameda dos Artistas, onde ilustradores e quadrinistas expõem seus trabalhos.

Mas a grande sensação da feira são os painéis dos estúdios de cinema e TV. Neles, o número de celebridades internacionais cresce a cada ano, para o delírio dos fãs que chegam a dormir na fila para garantir uma vaga no auditório principal da feira – que comporta cerca de 3 mil pessoas.

Além de contar com atores e cineastas badalados, os painéis também mostram conteúdo exclusivo sobre os lançamentos dos estúdios. Esse ano, o trailer de “Mulher-Maravilha 1984” foi visto primeiro em São Paulo e só depois chegou oficialmente à internet. O mesmo aconteceu com o trailer de “Free Guy”, filme da Disney com Ryan Reynolds.

Imagens exclusivas de “Os Eternos”, longa da Marvel com Angelina Jolie, também puderam ser vistas em primeira mão e não vão estar disponíveis para o grande público por um bom tempo – segundo prometeu Kevin Feige, o presidente da Marvel Studios.

O ano das mulheres na CCXP

Mesmo quem não se importa com filmes do universo geek sabe o que eles representam na cultura pop atual. Esse nicho é o que mais movimenta dinheiro no cinema e tem o poder de influenciar um número gigantesco de jovens. Dito isso, ver a grandeza da representatividade feminina em um evento como a CCXP é algo que merece ser enaltecido.

No primeiro dia de evento, o painel mais importante foi o de “Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa”, filme que pode ser um divisor de águas no universo cinematográfico dos quadrinhos. Estiveram em São Paulo a protagonista Margot Robbie, a diretora Cathy Yan e outras quatro atrizes: Jurnee Smollett-Bell, Mary Elizabeth Winstead, Rosie Perez e  Ella Jay Basco.

O mesmo estúdio responsável por “Aves de Rapina”, a Warner, trouxe outro painel de peso: “Mulher-Maravilha 1984”, cravando que esse é definitivamente o ano das mulheres no universo cinematográfico da DC Comics. A atriz Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins também estiveram em São Paulo e agitaram o último dia da feira.

No sábado, a Disney foi responsável por todos os painéis da arena principal e abriu os trabalhos fazendo a pré-estreia nacional de “Frozen 2”. No painel da Marvel, que é sempre um dos mais aguardados, “Viúva Negra” era a atração principal. E, além de contar a história da heroína dos Vingadores (vivida por Scarlett Johansson), o filme também é dirigido por uma mulher: Cate Shortland.

Vestida de Viúva Negra, fã chora durante o painel da Marvel

Vestida de Viúva Negra, fã chora durante o painel da Marvel (CCXP/I Hate Flash/Divulgação)

Kevin Feige, o presidente da Marvel Studios, foi quem fez as honras do painel – que não contou com atores e diretores. Além de falar sobre “Viúva Negra”, ele trouxe novidades sobre o outro grande lançamento do universo cinematográfico da Marvel: “Os Eternos”. E, veja você, esse filme também é dirigido por uma mulher: Chloé Zhao. Além disso, o principal nome do elenco é ninguém menos do que Angelina Jolie.

Ainda no sábado, tivemos o aguardadíssimo painel de “Star Wars”. Ele contou com os atores Daisy Ridley, Oscar Isaac e John Boyega e o incensado diretor J.J. Abrams. Em tom emotivo, os cinco falaram a respeito do final da atual trilogia da saga. Ao lado de Margot Robbie e Gal Gadot, Daisy completa o time de protagonistas femininas que brilharam nessa edição da CCXP.

Para ter acesso aos painéis principais, os fãs passam a madrugada na fila

Para ter acesso aos painéis principais, os fãs passam a madrugada na fila (CCXP/I Hate Flash/Divulgação)

Grandes filmes com grandes mulheres – em frente e atrás das câmeras. E a euforia dos fãs sinaliza que esse boom de representatividade feminina não tem nada a ver com um suposto “esquema de cotas” para cumprir tabela. CLAUDIA esteve em quatro dos cinco dias de evento e conferiu de perto os principais painéis desse ano. Presenciamos uma verdadeira multidão de pessoas que vibrou – e muito! – junto com essas mulheres todas.

É inegável a importância do universo geek na cultura contemporânea e o impacto dele na sociedade. Independentemente do gosto pessoal, ver a força crescente da representatividade feminina em filmes desse porte é uma ótima notícia.