Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Fernanda Morelli

Por Beleza & Bem-Estar Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Coluna da editora de beleza e bem-estar, Fernanda Morelli
Continua após publicidade

Cosméticos anti-idade funcionam?

Saiba se vale a pena investir nesses cuidados e como potencializar o efeito dos seus produtos

Por Fernanda Morelli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 24 abr 2023, 18h25 - Publicado em 28 jul 2018, 11h37

Como editora de beleza recebo muitas perguntas sobre os produtos lançados no mercado. Se funcionam, se vale a pena investir, qual a melhor marca para determinado cuidado, etc. Muitas delas consigo responder. Outras não. De fato acabo experimentando muita coisa e conversando com muuuita gente do ramo – dermatologistas, cabeleireiros, maquiadores, que são fontes diárias das minhas matérias. Mas quando me pedem indicações precisas, que dependem de uma série de fatores ou qualquer coisa que possa interferir na saúde da pessoa, prefiro sugerir que a pessoa busque ajuda profissional.

Perguntas mais generalizadas, no entanto, respondo com o maior prazer e segurança. E uma bem frequente é sobre os cremes anti-idade. Eles funcionam? Se eu usar direitinho valem por uma plástica? Vale o investimento? Resolvi, então, fazer deste o tema da minha coluna de hoje.

Os famosos creme “anti-idade” evoluíram MUITO nas últimas décadas. Nunca tivemos tanta opção como temos hoje. Nunca os produtos foram tão completos e específicos como hoje. Para cada necessidade de pele há uma categoria (ou ativo) mais indicada. Assim como para cada pele há um veículo (creme, gel, sérum) melhor.

Depois de inúmeras entrevistas com dermatologistas e cosmetólogos posso afirmar com toda certeza que sim, eles funcionam. “Fazem milagres?” Não, mas atualmente temos versões muito boas que fazem uma baita diferença em manchas, rugas, linhas finas e flacidez. O segredo é saber escolher o que melhor atende sua necessidade. Pode apostar!

“Se deu certo para a minha amiga, serve para mim também?” Infelizmente não. E o motivo é simples: nem tudo que funcionou para sua amiga, mãe ou irmã, vai ser bom para você. Isso porque cada um tem uma necessidade, tipo de pele e até rotina de beleza que interferem completamente no resultado final.

Continua após a publicidade

Outra dúvida comum é em relação aos preços. Principalmente em se tratando de anti-idade, a variação é enorme. Encontramos atualmente no mercado produtos que vão de 100 a 3 mil reais (ou mais). E aí me perguntam: “Se eu investir em um desses beem caros, é mais garantido que vá funcionar?” Não necessariamente.

A questão de variação de preço é complexa. Depende de fatores como tamanho da empresa detentora do produto, investimento em pesquisa, poder de barganha, posicionamento de marca, ativos utilizados na fórmula, e muitas outras coisas. De fato, muitas marcas excelentes em produtos anti-idade (ou antissinais, como prefiro chamar) têm preços altos. Mas não é uma condição. Conheço, também, opções muito recomendadas e com preços superacessíveis. A questão é que ao mesmo tempo que temos cada vez mais variações de tipos e ativos, temos também opções cosmeticamente mais agradáveis, com aroma tal ou enriquecido com isso e aquilo, que começam a encarecer os produtos. Mas sabe qual é a melhor coisa de tudo isso? Podermos escolher. Tem produto bom no mercado para todos os gostos e bolsos!

Minha dica, seja qual for a sua necessidade, é consultar um dermatologista para receber a melhor indicação de produto para o seu tipo de pele. Mesmo se seu médico não passar várias opções, tenha em mente o princípio ativo e veículo mais indicado para você. Com isso, é possível experimentar as variadas opções no mercado e escolher a que mais cabe no seu bolso. Além disso, sugiro que você siga estas 5 dicas abaixo para poder perceber o resultado real (e integral) do produto escolhido por você:

  1. Siga corretamente as indicações de uso – cada marca/ativo/produto tem uma aplicação correta para funcionar.
  2. Aplique-os sempre com a pele limpa – de verdade. Isso significa seguir aqueles passos básicos de limpeza de pele (demaquilar, lavar o rosto, tonificar…). Usá-los na pele suja significa jogar produto fora 🙁
  3. Mantenha a pele hidratada. Assim ela consegue absorver melhor os produtos antissinais aplicados em seguida.
  4. Use uma essence lotion (loções que preparam a pele para o tratamento antissinais) ou boosters, que potencializam quimicamente a ação dos produtos
  5. Escolha uma linha antissinais completa. Quando os ativos trabalham em sinergia (sérum+creme dos olhos+creme noturno, por exemplo), as chances de sucesso aumentam

 

E quem não quer usar nada, tudo bem? Claro que sim! Vivemos a era (ufa!) da liberdade. E cada um adota os cuidados de beleza que quiser para se sentir bem. Sugiro, apenas (e por uma questão de saúde), não abrir mão do hidratante. Tá aí um produtinho essencial para todos os seres humanos!

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.