Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Oscar muda regulamento para ampliar representatividade entre os indicados

Válidos para a categoria Melhor Filme, o objetivo dos novos critérios de elegibilidade é encorajar a igualdade dentro e fora da tela

Por Da Redação - Atualizado em 16 set 2020, 13h25 - Publicado em 9 set 2020, 12h32

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pelo Oscar, anunciou na última terça-feira (8) os novos critérios de representatividade e inclusão para que um filme seja elegível para concorrer à estatueta de Melhor Filme as outras categorias deverão seguir as regras atuais.

O novo regulamento foi inspirado e adaptado a partir de um modelo da British Film Institute (BFI) Diversity Standards, usado para elegibilidade no British Academy of Film and Television Awards (BAFTA). Segundo comunicado oficial da Academia, o objetivo da reestruturação das regras para concorrer ao Oscar é encorajar a igualdade dentro e fora da tela, refletindo a diversidade do público.

“A abertura deve ser ampliada para refletir nossa população global diversificada, tanto na criação de filmes, quanto no público que se conecta a eles. A Academia está dedicada em desempenhar um papel vital em ajudar a tornar isso uma realidade”, disse David Rubin, presidente da Academia, e Dawn Hudson, CEO, em comunicado. “Acreditamos que esses padrões de inclusão serão um catalisador para uma mudança essencial e duradoura em nosso setor.”

As novas regras começarão a ser aplicadas a partir de 2022 e se tornarão obrigatórias a partir de 2024, edição na qual uma produção, para concorrer ao Oscar, deverá cumprir com, pelo menos, dois dos quatro critérios a seguir, detalhados com subcritérios:

1. Representação, Temas e Narrativas na tela atender a, pelo menos, um dos subcritérios abaixo:

Pelo menos um dos atores principais e coadjuvantes significativos deverá pertencer a um grupo racial ou étnico minoritário, como asiáticos, latinos/hispânicos, negros, indígenas, nativos do Oriente Médio, norte-africanos, havaianos, entre outros.

Ao menos 30% de todos os atores coadjuvantes ou em papéis menores deverá pertencer a, no mínimo, dois dos seguintes grupos minoritários: mulheres, grupos raciais ou étnicos, LGBTQ+, pessoas com deficiências cognitivas, físicas ou auditivas.

O enredo principal, tema ou narrativa do filme também deverá ser centrado nos grupos minoritários citamos acima.

Kurt Krieger/Corbis/Getty Images

2. Equipe criativa e de produção atender a, pelo menos, um dos subcritérios abaixo:

Pelo menos duas das seguintes ocupações de equipe criativa e produção diretor de elenco, cineasta, compositor, figurinista, diretor, editor, cabeleireiro, maquiador, produtor, designer de produção, decorador de cenário, operador de som, supervisor de efeitos visuais e escritor deverão pertencer aos grupos sub-representados, como mulheres, grupos raciais e étnicos, LGBTQ+ e pessoas com deficiência cognitiva, física ou auditiva.

Continua após a publicidade

Além disso, ao menos uma das posições anteriores deverá pertencer a uma pessoa asiática, latina/hispânica, negra, indígena, do Oriente Médio, norte-africana, havaiana, entre outros grupos minoritários. Também será preciso que, pelo menos, seis outras posições de equipe de produção ou técnica (com exceção à assistentes de produção), deverão pertencer a esses grupos.

Por fim, 30% da equipe do filme deverá ser mulher, pertencer a um grupo racial ou étnico minoritário, LGBTQ+ ou pessoa com deficiência cognitiva, física ou auditiva.

3. Acesso à indústria e oportunidades atender aos subcritérios abaixo:

A empresa distribuidora ou financiadora do filme deverá ter contratado aprendizes ou estagiários dos grupos minoritários. Além disso, é obrigatório que, em distribuidoras grandes, o estágio seja remunerado, principalmente nos departamentos de produção, pós-produção, música, efeitos visuais, aquisições, negócios, distribuição, marketing e publicidade. Já nas empresas de pequeno porte, o mínimo é dois estagiários/aprendizes pertencentes a um dos grupos minoritários em, pelo menos, um dos departamentos citados anteriormente.

Por fim, a empresa de produção, distribuição ou financiamento do filme deverá oferecer treinamento em suas áreas técnicas para os já mencionados grupos minoritários.

4. Ampliação do público 

O estúdio ou empresa contratada para o filme deverá ter executivos de alto escalão pertencentes aos grupos minoritários, citados anteriormente, em suas equipes de marketing, publicidade e/ou distribuição.

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade