Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como eliminar cochonilha e pulgão do jardim

Apesar de distintos, os dois insetos atacam as plantas da mesma forma: sugando seus nutrientes e soltando uma secreção que fragiliza suas espécies

Por Julyana Oliveira
7 jun 2023, 09h28

Ter um jardim bonito exige atenção aos detalhes. Além da rega, poda e adubação, também é preciso observar sinais que as plantinhas nos dão de que estão sendo atacadas por pragas. Por aqui, já explicamos como eliminar os caramujos do quintal, e chegou a vez de aprender como se livrar da cochonilha e do pulgão. “Ambos atacam a planta da mesma maneira, sugando nutrientes e soltando uma secreção adocicada que a torna mais suscetível à doenças.

Tanto as cochonilhas quanto o pulgão são nomes dados para um grupo de insetos, existem dezenas de cochonilhas e mais de 1,5 espécies de pulgões”, explica o paisagista João Queiroz. De acordo com o especialista, a presença dos insetos indica má nutrição do jardim e algum desequilíbrio no meio ambiente. “Pulgões com mais frequência indicam também excesso de água, porém não é uma regra”, ressalta. 

Para eliminar a cochonilha do jardim basta utilizar um remédio caseiro e fácil de fazer. “Ela possui respiração cutânea, por isso é facilmente asfixiada”, conta João. Nesse caso, faça um spray com detergente neutro e água, e lave a planta: o sabão vai impedir que ela respire. “O óleo de neem também é um ótimo remédio e que vai acabar prevenindo futuras doenças”, indica o profissional.

No entanto, eliminar o pulgão do jardim é um pouco mais trabalhoso. O óleo de neem ajuda, mas para combatê-los de vez é preciso comprar uma torta vegetal de neem em pó e aplicar o produto na terra do vaso, seguindo as indicações na embalagem. “Em outros países, vende-se joaninhas pela internet que são prestadores naturais de pulgão. Por aqui, ainda não temos esse serviço”, revela João.

O profissional também explica que apesar das cochonilhas serem uma praga na horta, elas são muito importantes para outros setores. “Elas são uma das maiores fontes de corante do mundo, conhecido como carmim de cochonilha. E são necessários 70.000 insetos para produzir apenas 450 gramas deste corante”, conta. “Utilizado no Peru há anos para tingir lã pelos povos antigos, a técnica foi difundida pelos espanhóis em sua conquista. Atualmente, esse corante pode ser encontrado em tudo, desde iogurte à roupas”, finaliza João.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

O mundo está mudando. O tempo todo.
Acompanhe por CLAUDIA e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.

Acompanhe por CLAUDIA.

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.