Como acabar com o comportamento agressivo do seu gato

Descubra quais motivos podem deixar o animal estressado e como você pode reverter a situação

Muita gente pensa que os gatos são animais traiçoeiros, que não são companheiros e sequer gostam dos donos, mas essa ideias estão completamente erradas. Quem convive com os animais sabe que eles podem ser tão carinhosos quanto os cães e que adoram brincar e interagir. Porém, é claro que, por alguns motivos, os gatinhos podem se tornar agressivos. Mas não se preocupe, separamos esses sinais para identificar a irritação e algumas maneiras de solucionar o estresse do animal.

Como identificar sinais de agressividade

Os gatos costumam brincar de uma maneira mais selvagem que os cachorros. Por isso, é comum mordidas, arranhões e atitudes de predação, em que o animal usa suas unhas e dentes para mostrar que está no controle. O comportamento decorre do estímulo e do reforço gerado pelos próprios donos. “Nossa postura deve ser a de estabelecer limites para não incentivarmos práticas violentas”, afirma a Dra. Tatiani Camargo, veterinária especialista em felinos do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Conseguir diferenciar as brincadeiras de atitudes realmente agressivas é bem fácil. Quando está irritado, suas orelhas ficam para cima e para frente, o rabo fica rígido e balançando de um lado para o outro. Além disso, ele eleva ou encolhe o corpo e os pelos ficam arrepiados.

Motivos

Uma pesquisa realizada com um grupo de 107 donos de felinos mostrou que as situações mais recorrentes em que os gatos mostram sinais de agressividade são quando é acariciado, durante algumas brincadeiras e quando protege sua comida. Isso acontece porque eles são animais semi-sociais, então a proximidade em excesso e locais com pouco espaço podem causar desconforto.

Essas situações causam estresse, ansiedade e frustração, desencadeando atitudes agressivas. Porém, a melhor forma de descobrir a razão verdadeira para esse comportamento é realizando uma consulta com veterinário. Apenas o especialista pode ter certeza de que as atitudes não são causadas por algum tipo de doença ou dor, por meio de uma avaliação clínica e laboratorial.

Como resolver

Como já dito, o primeiro passo é procurar um veterinário para ter certeza se o comportamento agressivo não está relacionado a alguma patologia. Se estiver, apenas o veterinário poderá prescrever tratamentos e medicamentos específicos. Se esse não for o caso, é importante que o dono não estimule brincadeiras que levem a mordidas e arranhões. Toda vez que o gato começar a ficar mais agressivo, você deve ignorá-lo. Com o tempo, a tendência é que ele entenda até onde pode chegar.

Também é importante que você respeite o nível de tolerância do gato em relação aos carinhos. Espere que ele peça carinho, nunca force a interação.

Leia mais: Onça-parda é vítima de atropelamento em São Paulo

+ Cadela é resgatada depois de viver 8 anos acorrentada em Portugal

PODCAST – Como ter mais orgasmos: o caminho para uma vida sexual satisfatória