Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Aproveite o tempo de máscara para cuidar do melasma

Elas atuam na proteção contra todos os tipos de radiação solar, que pioram as manchas

Por Denise Steiner Atualizado em 3 dez 2020, 13h25 - Publicado em 3 dez 2020, 12h00

O melasma é uma mancha que afeta o rosto de mulheres jovens e morenas. É uma alteração crônica, não contagiosa, que compromete muito a autoestima.

Hoje, existem várias descobertas interessantes sobre essa hiperpigmentação. Uma delas é que a pele com melasma é uma pele bem mais velha do que a pele sem melasma. Além do excesso de pigmento, também aparecem danos na junção epiderme/derme e os melanócitos, que são as células produtoras de melanina, desprendem da camada basal e desabam para camadas mais profundas da pele.

Além disso, a pele com melasma tem alterações nas fibras de colágeno e elastina, caracterizando um processo chamado elastose.

A localização mais comum do melasma é na região centrofacial, principalmente nas bochechas. A máscara, que hoje é obrigatória devido à Covid-19, cobre essa região do rosto e protege a pele da radiação solar. As luzes emitidas pelo sol são provocativas do melasma.

Existem três tipos de radiação que são considerados importantes: radiação UVA, UVB e luz visível.
A luz UVA é aquela que atinge as células, os vasos, as glândulas e fibras de colágeno, sendo responsável pelo fotoenvelhecimento. A luz UVB é aquela que deixa a pele vermelha e provoca câncer de pele.  A luz visível, que representa 40% da luz solar, é culpada por manchar a pele. Ela tem atração pela melanina e provoca escurecimento maior na pele que já está manchada. A luz visível emitida pelos aparelhos celulares e computadores também contribuem para a piora das manchas de melasma.

O filtro solar, para proteger peles com melasma, deve ter bloqueio para UVA, UVB e também para a luz visível. Não existe um filtro solar específico que neutralize essa luz e, portanto, pigmentos como o óxido de ferro e outros é que vão conseguir a proteção da mesma.

As máscaras também ajudam proteger a pele de todos os tipos de radiações do sol inclusive luz visível. As de cor mais escura e tecido com trama mais fechada promoverão maior proteção.

Além da máscara, os tratamentos prescritos pelo médico para a pele manchada devem continuar sendo usados, e o filtro solar específico para cada pele não deve ser interrompido. Felizmente, nesse caso, a máscara facial também irá contribuir para a proteção da pele e melhoria das manchas.

  • O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

    Continua após a publicidade
    Publicidade