Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Problemas de pele podem ser agravados pela pandemia

A acne e as dermatites estão intimamente ligadas ao cortisol, hormônio do estresse

Por Denise Steiner - 27 Maio 2020, 17h00

A pandemia do coronavírus trouxe consigo boas e más notícias. Em relação ao lado bom, estamos convivendo mais com a família, tendo oportunidade de refletir sobre nossas relações com amigos e trabalho e aprendendo o exato valor do nosso tempo livre. Também notamos que não temos o controle sobre tudo e cada minuto deve ser valorizado na sua essência e aprendizado.

Por outro lado, ficamos estressados e ansiosos, pois não sabemos o que vai acontecer com nosso trabalho e com nossa vida no pós-pandemia. É justificado o termo “à flor da pele”, porque ela é nosso órgão de choque. As doenças inflamatórias como acne, dermatites e também a queda de cabelo são as de somatização mais frequente.

Em relação à acne ,que apresenta espinhas, cravos, oleosidade e até abscessos, ela pode piorar e ficar mais intensificada ou até aparecer pela primeira vez. O estresse provoca aumento de um hormônio chamado cortisol, que por sua vez estimula os hormônios androgênicos que são os responsáveis pelo excesso de oleosidade de cravos e posterior inflamação.

A dieta, durante a pandemia, com excesso de carboidratos e ou leite e queijos, também pode piorar a acne. Isso acontece porque esses alimentos são inflamatórios e aumentam um hormônio chamado IGF beta, que também interfere com os hormônios androgênicos.

A acne deve ser tratada o quanto antes para evitar o aparecimento de cicatrizes. Converse com seu dermatologista, evite automedicação e procure melhorar a dieta, ingerindo menos açúcar e menos laticínios. Os suplementos com proteína do leite, como o Whey Protein, e as vitaminas do complexo B também podem piorar a acne e devem ser descontinuados.

Continua após a publicidade

As dermatites, que são inflamações da pele como dermatite seborréica, dermatite de contato e também rosácea, podem piorar devido ao estresse. Quando o cortisol fica elevado por tempos prolongados, pode baixar a imunidade do organismo e resultar nessas condições.

As dermatites são tratadas com corticóides, mas vale lembrar que eles não podem ser usados por muito tempo na pele, pois provocam efeitos colaterais como aumento de pelos, afinamento da pele e até estrias. A pele inflamada e com dermatites deve ser limpa com sabonete neutro e hidratada com emolientes calmantes duas a três vezes ao dia.

Enquanto esse período de pandemia persistir, é importante manter a rotina com alimentação equilibrada, exercícios moderados e constantes, bom sono, cuidados com a saúde e principalmente bons pensamentos que controlem a ansiedade.

Todas as mulheres podem (e devem) assumir postura antirracista

 

Continua após a publicidade
Publicidade