Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Dezembro laranja: a importância de prevenir o câncer de pele

Desde 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia promove a iniciativa que faz parte da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele

Por Denise Steiner Atualizado em 10 dez 2020, 12h02 - Publicado em 10 dez 2020, 15h00

O câncer de pele é o câncer mais comum dentre todos os outros e carrega a marca de ser visível. Nós podemos vê-lo, sinalizando o risco e, por causa disso, é importante que saibamos enxergá-lo e possamos prevenir sua progressão.

Podemos citar que existem 3 tipos de câncer de pele mais importantes e mais frequentes. Eles são o carcinoma basocelular – o menos grave e mais comum –, o carcinoma espinocelular e o melanoma – o mais grave e mais raro.

O carcinoma basocelular é o menos agressivo dos canceres de pele e raramente causa metástase (quando o tumor avança para outros locais e órgãos do organismo humano).

Os carcinomas basocelular e espinocelular são tumores que aparecem devido a danos cumulativos causados pela radiação solar e lembram machucados avermelhados que não cicatrizam.

Ambos aparecem mais na área fotoexposta, sendo que o carcinoma basocelular compromete o terço superior do rosto, especialmente o nariz, lembrando um pequeno machucado avermelhado que nunca cicatriza. Já o carcinoma espinocelular compromete mais a região da boca e também cicatrizes antigas e inflamadas.

Os dois carcinomas devem ser retirados integralmente por cirurgia. O resultado final e o prognóstico vão depender do tamanho do tumor. Quanto antes esses cânceres forem tratados, melhor o resultado final.

Continua após a publicidade

O outro câncer de pele frequente e muito agressivo é o melanoma. Ele pode parecer uma pinta plana ou elevada, em geral muito escura. Quanto mais assimétrica, com bordas irregulares e muitas cores, maior será o risco de ser um tumor maligno e metastático.

É importante prestar atenção nas pintas, segundo os critérios do ABCD (A – assimetria, B – bordas, C – cores variadas, D – diâmetro) e, se possível, realizar mapeamento para acompanhamento das mesma. A prevenção do melanoma é essencial para diminuir o risco de metástase.

O melanoma é um câncer de pele traiçoeiro porque, em geral, não apresenta grandes mudanças na superfície, mas na profundidade pode estar crescendo e se espalhando. Nesse caso, a biopsia desse tumor ou o material retirado por cirurgia deve ser encaminhado para o patologista especializado em pele, que irá definir a medida de profundidade do mesmo (índice de Breslow), além de outras características fundamentais como grau de inflamação, para traçar um prognóstico mais exato.

O tratamento do melanoma com profundidade de cerca de 1 mm é cirúrgico, com bom prognóstico. A margem sempre deve estar livre do tumor.

A prevenção da progressão de um melanoma pode significar uma vida plena e saudável. A progressão silenciosa do mesmo e descoberta já com disseminação e metástase pode tornar o prognóstico muito sombrio.

O melanoma está relacionado aos danos causados pelo sol, mas também pesam fatores genéticos e hormonais. Cuide da sua saúde e use filtro solar. Prevenir é o melhor remédio também para o câncer de pele.

  • O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

    Continua após a publicidade
    Publicidade