Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Kika Gama Lobo Por Atitude 50 Focada na maturidade como plataforma pessoal, a jornalista Kika Gama Lobo escreve sobre as sensações e barreiras que as mulheres de 50 anos vivenciam

Live

Depois reclamam que estamos ansiosos. Claro, afinal, como seguir tantos canais?

Por Kika Gama Lobo - Atualizado em 20 Maio 2020, 14h08 - Publicado em 20 Maio 2020, 14h00

Não sacaneia que não aguenta mais. Não vale mentir que não assiste. Não admite que já deu mil furos pra ocultar comentários, gravar no feed ou deixar a câmera cair no meio da transmissão? E quando o entrevistado é péssimo e monossilábico? Por que cargas d’água fui aceitar o convite pra debater com aquela pessoa?

E o dress code? Pra cima toda bonitinha e onde a câmera não pega, pijamão e meia. Não tem como não lembrar da lenda do Cid Moreira que apresentava o JN de terno e ceroula. E dá-lhe meditação. Prana, drama, chama. É cada piração.

Pode-se estudar russo, cozinha da Mongólia, bordado em folhas que caem da árvore de sua rua, piano, educação financeira, coach, maquiagem, organização de gavetas e como arear panelas. É tanta LIVE que precisaremos de mais uma vida para assistir e aprender tudo. Depois ainda reclamam que estamos tensos e ansiosos. Claro, como seguir tantos canais? Me diz, e aí quando será sua próxima live? 

Todas as mulheres podem (e devem) assumir postura antirracista

Publicidade