4 vilões da vida moderna que agridem a pele

O processo de envelhecimento da pele pode ser acelerado por elementos que convivemos diariamente. Saiba quais são os cuidados para reverter essa situação.

A sedutora luz azul do smartphone não nos deixa apenas dependentes de conexão o tempo inteiro. Ela agride a nossa pele. Pode parecer sutil e pouco potente, mas essa radiação faz aumentar as reações oxidantes que marcam e estragam os tecidos subcutâneos. Ao longo de um dia, somada à claridade artificial do computador, do tablet e da TV, a nossa exposição é significativa. “Estudos comprovam os danos celulares associados ao uso excessivo desses aparelhos”, afirma a dermatologista Valéria Marcondes, de São Paulo.

O envelhecimento digital, que passou a ser debatido no universo da beleza nos últimos meses, e também a poluição crescente se somam ao já conhecido seven skin ages, o grupo dos sete fatores que tiram a vitalidade da pele. São eles: sol, excesso de açúcar, stress, carência de sono, tabagismo, falta de cuidados diários e o tempo – que provoca um desgaste natural.

Com exceção do último, todos têm relação com os nossos hábitos e a qualidade da vida que levamos. A boa notícia é que existem produtos e maneiras efetivas de brecar a atuação deles e até reverter os danos precoces, sem precisar voltar a viver como antigamente. Descobrir como agem os quatro dos anti-heróis da vida contemporânea aumenta as chances de vitória no combate contra eles.

Luz visível

Nível de dano: Também chamada de luz azul, é a radiação emitida pelas lâmpadas artificiais, tela dos computadores, tablets e smartphones. O principal dano relacionado ao uso excessivo dessas tecnologias é o surgimento de manchas, devido à hiperpigmentação e ao aumento de reações oxidativas. De acordo com a publicação científica Photochemistry and Photobiology, da Sociedade Americana de Fotobiologia, a radiação UVA (do sol) responde por cerca de 67% da produção de radicais livres pelo corpo, responsáveis pelo envelhecimento, enquanto a luz visível gera em média 33%. “Isso é suficiente para causar manchas e alterações no DNA da célula”, diz a dermatologista Carla Nakanishi, de São Paulo. Ok, a luz visível não faz tão mal quanto o sol. A diferença, aliás, é grande. Pesquisas apontam que oito horas de exposição à luz visível equivalem a apenas um minuto e 20 segundos da radiação UVA em um dia ensolarado. O problema é que passamos muito mais horas recebendo as emissões de celulares, computadores, tablets e TVs do que tomando sol (às vezes o dia inteiro). E os danos a essa exposição também são cumulativos.

Seus aliados: Quem tem problema de manchas (como melasma) sabe que, às vezes, mesmo com proteção solar rigorosa, elas teimam em aparecer. “É que os filtros comuns não protegem contra a luz visível”, avisa Valéria. Para impedir os efeitos dessa radiação, é imprescindível formar uma barreira física na pele. Os pigmentos, presentes em bases, BB creams e em determinados protetores, têm essa função. Além disso, novos cosméticos estão chegando ao mercado com a promessa de reforçar as defesas da pele contra a luz visível.

Leia mais: 4 truques de Marcos Costa para disfarçar as olheiras e manchas

 (Divulgação/Divulgação)

1. Protetor Bio-Sun Protect FPS30, Bioage. R$ 104*
2.Gel Creme com Cor FPS 70, Cetaphil. R$ 79,90*
3. Sérum reparador Hyalu TGF Repair, Anna Pegova. R$ 228*

Falta de sono

Nível de dano: Sabe aquela expressão “sono da beleza”, dita às vezes até em tom de brincadeira? Pois ela faz todo o sentido. Noites picadas ou número insuficiente de horas dormidas (menos de oito, em média) comprometem o processo de regeneração celular, que ocorre essencialmente durante a noite. “É justamente quando dormimos que ocorre a produção da melatonina, considerada o hormônio da juventude porque é um potente antioxidante”, diz a nutróloga Alice Amaral, de Minas Gerais. Boa parte da nossa autodefesa – essencial para a proteção contra vários danos à pele – depende de uma reparadora noite de sono. “O déficit de descanso gera, ainda, um aumento na liberação de cortisol, o que pode levar à perda de colágeno, responsável pela sustentação da pele”, completa.

Seus aliados: Com pós-graduação em medicina e biologia do sono, a psicóloga Maria Christina Pinto elencou, durante evento da indústria farmacêutica Medley, em São Paulo, as dicas essenciais para dormir melhor. Aqui vão três:
1. Rotina é importante. “Mantenha um horário regular para deitar-se e levantar-se”, orienta Maria Christina.
2. Não leve preocupações para a cama. Boa ideia é anotar as pendências no papel para poder esquecê-las ao encostar a cabeça no travesseiro.
3. “Deixe aparelhos eletrônicos longe de você.” Após ajustar o sono, uma estratégia inteligente é aproveitar o momento favorável à pele para usar cremes noturnos, que têm ativos antioxidantes, como vitaminas C e E, ácidos glicólico e lático, indicados para a renovação celular, e retinoides, para estimular a produção de colágeno.

Leia mais: Todas as suas dúvidas sobre manchas de sol respondidas

4. Creme efeito lifting Bio-Performance Shiseido. R$ 559*
5. Creme reparador, CicatriCorrect, L’Oréal Paris. R$ 49,90*
6. Creme revitalizante Multi-Active Nuit, Clarins. R$ 259*

Poluição

Nível de dano: Prepare-se para encontrar nas prateleiras dermocosméticos com a indicação “antipoluição” no rótulo. A novidade diz respeito ao dano – também comprovado cientificamente – causado pelas toxinas presentes no ar, produzidas principalmente pela fumaça de indústrias e de veículos automotivos. “Essas substâncias aderem à pele impedindo a boa oxigenação, que é essencial à saúde. O resultado é um retardo no metabolismo celular, maior liberação de radicais livres, perda de colágeno e de viço”, afirma Carla Nakanishi. A camada de “sujeira” afeta diretamente a barreira de proteção cutânea (responsável pelo equilíbrio da hidratação), causando ainda ressecamento, coceira e alergias. Quanto mais íntegra essa barreira, maior a capacidade da pele de se defender de qualquer inimigo.

Seus aliados: “A forma mais efetiva de proteger a pele da poluição é usar produtos que formem um escudo sobre ela e investir em uma boa higienização diária”, observa a dermatologista Valéria. Cosméticos e nutricosméticos (em forma de cápsulas e administrados via oral) que atuem contra o stress oxidativo, fortalecendo a autodefesa da pele, são bem-vindos. Esses produtos costumam ter ativos antioxidantes, como resveratrol e vitaminas C e E. “Para a limpeza, a combinação de carvão ativado e pérolas negras é o que temos de mais inovador. A dupla elimina as impurezas e toxinas por meio da esfoliação e da renovação celular efetiva”, diz a cosmetóloga Claudia Coral, diretora científica da farmacêutica Galena. O ideal é fazer essa higienização mais profunda pelo menos uma vez por semana.

Leia mais: Está com acne ou queda de cabelo? Isso pode ser sinal de estresse

 (Divulgação/Divulgação)

7. Máscara esfoliante City Block Purifying, Clinique. R$ 219*
8. Hidradefense Solution Aqua Pro.Bio, Adcos. R$ 109*
9. Booster Diário Fortificante, Mineral 89, Vichy. R$ 149*

Má alimentação

Nível de dano:  Você acaba de ganhar mais um motivo para caprichar nas escolhas do seu prato. “A maioria das pessoas acha que o problema de comer mal é engordar. Mas não é o único. Maus hábitos alimentares podem provocar inflamações em todo o organismo”, afirma Alice Amaral. Segundo ela, nosso corpo não foi feito para metabolizar o tipo de comida que ingerimos hoje em dia. “Os alimentos ricos em aditivos e muito processados, os carboidratos refinados e os açúcares causam a glicação, reação capaz de acelerar o envelhecimento”, explica a especialista. Esse processo (que une moléculas de glicose às de proteína) acaba danificando as fibras de sustentação da pele, como o colágeno e a elastina, causando o aparecimento precoce de rugas e flacidez.

Seu aliados: A recomendação é até batida, mas sempre vale lembrar que alimentos provenientes da natureza, como verduras, legumes, frutas e carnes magras, são os mais indicados. Isso não significa que você está proibida de consumir industrializados. O segredo é o equilíbrio. Ajuda fazer escolhas espertas. Invista, por exemplo, em antioxidantes naturais, como mirtilo e uva, que contêm resveratrol (também disponível em cápsulas). E prefira os carboidratos integrais. Ricos em fibras, eles diminuem o índice glicêmico das refeições – ou a velocidade com que o açúcar cai na corrente sanguínea e é processado pelo organismo. Assim, os riscos de glicação são menores. No rótulo dos cosméticos, busque produtos contra flacidez, capazes de proteger as estruturas de colágeno e elastina, com ativos como vitamina C, enzima Q10 e aminoácidos.

Leia mais: Cuidados para continuar com a pele linda depois dos 25 anos

 (Divulgação/Divulgação)

10. Máscara Facial Antiglicação C Max, Melora. R$ 227*
11. Gel Creme Antissinais 45+, Chronos, Natura. R$ 97,50*
12. Sérum antioxidante Advanced Defense Booster, Under Skin. R$ 359*

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s