Leitoras relatam o poder da autoestima em suas vidas

Após a transformação do Desafio da Leitora, elas renovaram a autoconfiança e sentiram mudanças positivas nas áreas pessoais e profissionais

CLAUDIA reúne quatro leitoras que transformaram o visual com nossa equipe nos últimos quatro anos. O que elas têm em comum? Descobriram que estar em paz com a autoimagem é o primeiro passo para chegar às grandes conquistas. Conheça essas mulheres:
“Quando você eleva a autoestima, o resto vai junto, tudo dá certo. A vida deslancha nos relacionamentos, na carreira, e as dificuldades vão se tornando mais leves”

 (Takeuchiss/CLAUDIA)

Marcella Sanches, veterinária, 33 anos
“Quando me inscrevi para o ‘Desafio da leitora’, há quatro anos, desejava apenas ter um visual que me destacasse como profissional. Ia participar de um congresso e queria passar credibilidade ao falar em público. Não imaginava que aquele dia fosse mudar tanto minha vida e em todas as áreas. Descobri que há inúmeras formas de valorizar minha beleza e que não existe uma única versão de mim mesma. Tanto que, de lá para cá, me transformei de novo diversas vezes. Fiquei ruiva, loira, adotei cabelo mais curto, depois deixei crescer… Eu olhava para mim e gostava do que via. Essa descoberta, associada à autoconfiança que conquistei,trouxe resultados muito concretos. Concluí meu mestrado, passei a dar mais aulas em pós-graduações, mudei de namorado e fiquei noiva. Vou me casar no ano que vem. Acredito que tudo está interligado. Quando você eleva a autoestima, o resto vai junto, as coisas dão certo. A vida deslancha nos relacionamentos amorosos, na carreira, e as dificuldades vão se tornando mais leves. O engraçado é que trabalho de uniforme cirúrgico e, por isso, não tenho como me arrumar muito ou ousar no visual. O fato de eu estar em paz por dentro e feliz com minha imagem convence os outros. É visível. As pessoas percebem o que tenho de melhor.”
“O Desafio provou que eu poderia ser quem quisesse. Resgatei o amor- -próprio e encontrei novas possibilidades”.

 (Takeuchiss/CLAUDIA)

Andrea Yama, advogada, 49 anos
“Desde sempre fui acostumada a respeitar aquela imagem típica da mulher oriental, com cabelo longo, liso e sem tintura. Quando completei 45 anos, comecei a ouvir que eu tinha que adotar fios curtos. Afinal, era quase uma cinquentona. Incrédula dessa máxima, procurei o Desafio da leitora. Queria, sim, uma solução que melhorasse algo em mim, mas não concordava em ter de seguir regras impostas pela cultura ou qualquer outra coisa. Logo que cheguei, aconteceu uma surpresa agradável. O profissional (o cabeleireiro Eron Araújo, de São Paulo) olhou e disse que eu não deveria reduzir muito o comprimento. Um corte moderno, repicado em camadas, já daria uma boa levantada no meu visual. Ele sugeriu que eu clareasse um pouco os fios, com mechas em tons de loiro, castanho-claro e mel. Algo em que eu nunca tinha pensado. Gostei tanto que, de lá para cá, me tornei quase loira! O ‘Desafio’ provou que eu poderia ser quem quisesse. Resgatei o amor-próprio e encontrei novas possibilidades. Fiz tatuagem, coloquei piercing e pretendo continuar a ter cabelão enquanto desejar – e não até quando eu puder. Perdi o medo de mudar e ganhei um astral muito mais descontraído. Isso me ajuda bastante.”
“Eu me dei conta de que o mais importante é dar chances para mim mesma. Olhei no espelho e perguntei: ‘Por que não fiz isto antes?'”

 (Takeuchiss/CLAUDIA)

Carolina Carvalho, publicitária, 37 anos
“Depois de várias tentativas frustradas de inovar o visual, eu andava com o cabelo descuidado, sem cor nem corte definidos. Um dia, lendo CLAUDIA, me deparei com o Desafio da leitora e resolvi me dar a última chance. Se fosse para fazer uma mudança significativa, tinha que ser com uma equipe de confiança. Depois de passar um dia todo sentindo na pele o impacto positivo de tudo aquilo, parei para pensar nas vezes em que tinha me deixado de lado alegando falta de tempo. Eu me dei conta de que o mais importante é dar chances para mim mesma. Olhei no espelho e perguntei: ‘Por que não fiz isto antes?’. E não me referia apenas ao cabelo e à maquiagem. Acabei aprendendo que devo procurar uma roupa que valorize meu corpo, meu tom de pele… É um conjunto. Senti uma satisfação enorme e, desde então, presto mais atenção no meu visual. Ele deve estar conectado com os sentimentos. Eu vivia insatisfeita, acima do peso, e saí de lá decidida a começar uma dieta. Perdi 10 quilos! Percebi que, cuidando de mim, tenho disposição para tomar conta da minha casa e do meu relacionamento. Também encontro prazer em sair com as amigas. Quando acordo e curto o que vejo, tudo fica mais gostoso. Essa experiência se mostrou muito forte e significativa.”
“Saí tão confiante do salão que decidi fazer um book em uma agência de modelos. Depois, também participei de um concurso de beleza plus size e fui muito bem!”

 (Takeuchiss/CLAUDIA)

Cláudia Ribeiro, analista de suprimentos, 30 anos
“Minha relação com a beleza andava conturbada havia algum tempo. Não somente por uma questão de autoestima mas também por medo. Eu achava que, quanto mais me arrumasse, mais poderia chamar a atenção para algo que não queria. Por essa razão, preferia simplesmente não me cuidar. Aos poucos, isso foi me fazendo mal. Justamente por não acreditar que deveria investir na beleza, a inscrição no ‘Desafio da leitora’ não partiu de mim. Foi um empurrão de uma amiga que, sabendo quanto essa oportunidade poderia me fazer bem, enviou meus dados para o processo seletivo da revista. Só de ser escolhida já foi maravilhoso. Cheguei receosa, mas saí outra pessoa. Descobri que podia me cuidar, que não havia absolutamente nada de errado nisso. Desde então, me sinto muito mais motivada. Quando estou animada, coloco um salto e arrisco um batom vermelho sem medo. Saí tão confiante do salão que decidi fazer um book em uma agência de modelos. Um tempo depois, também participei de um concurso de beleza plus size e fui muito bem! Foi algo que eu finalmente fiz por mim, e minha autoestima foi lá para cima. É nisso que eu tenho investido.”