Os principais erros nos cuidados com a pele

A boa notícia é que não é nada complicado evitá-los!

Ainda que rotinas de belezas complexas estejam cada vez mais populares, não é sempre que se precisa seguir uma lista enorme de etapas para manter a pele bem cuidada. Ações básicas como lavar, tonificar, hidratar e nunca deixar de aplicar filtro solar já são capazes de proporcionar uma aparência mais bonita e, principalmente, mais saudável.

Mas mesmo os passos mais simples não costumam ser devidamente seguidos. A seguir, a dermatologista Mayara Bravo, da Clínica Karla Assed Curitiba, comenta os principais erros que podemos cometer ao tratar (ou não) a pele.

VEJA os assuntos que mais estão bombando nas redes sociais

Indicação perigosa

Quantas vezes você já seguiu aquela recomendação de uma amiga sobre um creme milagroso que promete mil maravilhas? E quantas vezes essas promessas realmente se cumpriram? Mayara explica que a compra e uso de produtos por indicação de outros é frequente. E arriscada, pois, sem aprovação médica, os produtos podem ser inadequados para o tipo de pele.

Calor excessivo

Especialmente no inverno, banho frio é algo que fica fora de cogitação para muitas pessoas. O uso de água muito quente, porém, é prejudicial, seja para lavar o rosto, corpo ou cabelos. Conforme explica a dermatologista, ela “aumenta a oleosidade e piora o ressecamento”. Na dúvida, deixe o chuveiro no morno.

Hidratação geral

Falando em ressecamento, uma parte do corpo muito afetada pela queda das temperaturas são os lábios. Por isso é fundamental mantê-los hidratados com lipbalms, bálsamos, vaselina ou Bepantol. Não se engane achando que passar a língua pode ajudar. “A saliva pode deixar os lábios com aspecto ressecado ou rachado e até causar uma dermatite de contato”. E nada de arrancar as pelinhas!

Proteção de cada dia

No topo da lista de erros, está o baixo uso do protetor solar. “O que mais vemos no consultório são pessoas que se expõem ao sol sem utilizar filtro solar ou reaplicá-lo a cada duas horas. E também sem usar qualquer outro tipo de proteção, como chapéu e óculos escuros”. As consequências, todo mundo conhece: queimaduras, manchas e, no pior dos casos, câncer de pele. E já que os raios do sol ultrapassam as nuvens, mesmo em dias chuvosos ou nublados é preciso utilizar o produto.

“Todos esses erros podem levar ao surgimento de manchas, piora na textura e na qualidade da pele e em seu envelhecimento precoce”, afirma a especialista. Para não cair neles, não há mistério: busque a orientação de um dermatologista para analisar seu tipo de pele e quais tratamentos melhor atenderão as necessidades dela.

Leia também: Motivos para hidratar a pele em qualquer época do ano

+ Melasma pode ter cura?

Relacionamento abusivo: saiba se você está em um no podcast Senta Lá, CLAUDIA