Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Repórter denuncia machismo e é ameaçada: “vamos pra cima dessa mulher”

A correspondente do portal iG, Barbara Gerneza, foi assediada, registrou em vídeo e foi ameaçada pelos agressores.

Por Júlia Warken Atualizado em 16 jan 2020, 12h35 - Publicado em 25 jun 2018, 14h37

A russa Barbara Gerneza, que é correspondente do IG Esporte na Copa do Mundo 2018 estava gravando um vídeo com torcedores brasileiros e acabou sendo alvo de mais um episódio de machismo e assédio. O grupo começou a cantar a música “Chupa”, do MC 2K. A letra diz coisas como “chupar xoxota” e “meter a língua na sua vagina”. Como se não bastasse, um dos brasileiros tentou beijá-la na mesma ocasião. 

Alguns desses torcedores foram entrevistados pelo Fantástico, numa matéria que foi ar no domingo (24). Dois se justificaram, dizendo que a intenção jamais foi a de constranger Barbara. “O que não pode é vincularem a gente a esses outros vídeos, fazendo as pessoas repetirem… não foi o que a gente fez. Nós cantamos uma música que tem no Brasil, como cantamos ‘sou brasileiro'”, defendeu-se um homem creditado como empresário Paulo Simões.

Um outro, creditado como engenheiro Rodrigo Santoro, garantiu que a música não estava sendo cantada para mulheres e sim para os torcedores argentinos. “Peço desculpas e acho que foi uma infelicidade. Um mal entendido gigantesco”, emendou.

Já um outro homem do bando, que, segundo a reportagem, identificou-se como Osvaldo, disse que não há nada pelo que se desculpar e fez uma ameaça à jornalista russa. “Tiraram uma foto errada, fizeram uma filmagem errada, não sei quem foi, só que nós vamos pra cima dessa mulher. Porque ela vai ter que explicar porque é que ela filmou nós, expondo nós assim. E vamos pra cima”.

A justificativa de alguns dos torcedores é de que estavam apenas cantando músicas e se divertindo. Para a reportagem do Fantástico, o empresário Fred Miranda diz que “colocar a conotação de assédio sexual para 20 pais de família que estão aqui na Rússia curtindo… “nós não assediamos ninguém, nós não tocamos ninguém”. Mas a afirmação dele cai por terra com o registro em vídeo feito por Barbara, que mostra claramente o mesmo Fred Miranda tentando beijá-la à força.

Até quando mulheres serão culpabilizadas e desacreditadas quando denunciam assédio e episódios de machismo? Se as cenas que acontecem na Rússia são deploráveis e lamentáveis, podemos ao menos considerar como um avanço que absurdos como esse não serão mais tolerados. Já passou da hora dos homens refletirem sobre suas ações e serem penalizados pelos crimes que cometem e violências que praticam.

Assista à reportagem do Fantástico na íntegra aqui.

Continua após a publicidade
Publicidade