O que é sororidade?

O nome pode parecer complicado, mas o conceito é bem simples: ser fraterna para com outras mulheres

Você sabe o que é sororidade? As buscas pela palavra, que sequer faz parte de alguns dicionários de língua portuguesa, cresceram muito nos últimos anos, mas o termo continua causando estranhamento na maioria das pessoas.

O conceito é essencial no movimento feminista para estimular o apoio entre as mulheres. A palavra vem do latim soror, que significa irmã, ou seja, sororidade é irmandade. Mas, na prática, significa muito mais que isso.

O que é?

A essência da sororidade é a união entre as mulheres. Então, praticar a sororidade também é parar de sustentar ideias que incitam a rivalidade do gênero feminino. Reflita: quantas vezes você já se pegou julgando uma mulher pelo que ela estava vestindo ou pelo que ela fala? Quantas vezes você já ouviu que as mulheres não se gostam de verdade e só querem competir? Essa rivalidade está tão enraizada que na maioria das vezes passa despercebida e é considerada até natural.

Sororidade é sobre empatia, solidariedade, companheirismo e respeito entre as mulheres. Defende a ideia de que juntas somos mais fortes e que precisamos umas das outras para buscarmos a liberdade e os direitos que reivindicamos. As alianças são importantes para que esses estigmas e preconceitos enraizados sejam enfraquecidos.

Por que precisamos dela?

A sororidade é essencial porque, na sociedade em que vivemos, temos pouca voz sozinhas. Infelizmente, as mulheres ainda são muito duvidadas. É difícil conseguir qualquer mudança ou reivindicação sendo só uma.

Em casos de assédio, por exemplo, quando uma mulher faz uma denúncia sozinha, é comum que haja inúmeros questionamentos sobre a legitimidade de sua fala. Quando várias mulheres se unem em uma situação como essa, é muito mais provável que alguma providência seja tomada.

Como praticar?

  •  Não julgue mulheres por terem atitudes diferentes das que você teria

Isso vale para várias situações. O importante é aprender a lidar com as diferenças e entender que nem todas têm que pensar e agir como você. Não julgue uma mulher por suas roupas, corpo, comportamento ou relacionamentos. Muito menos pela escolha de vida que fizeram: não há problema se ela quis ser dona de casa nem se optou por não ter filhos. Coloque-se no lugar da outra e respeite.

  • Consuma o trabalho de outras mulheres

O mercado de trabalho ainda é muito desigual e faltam oportunidades para o gênero feminino. Quando uma mulher compra, divulga e incentiva o trabalho de outra, isso a ajuda a crescer e ter novas oportunidades. É uma forma de se fortalecer.

  •  Ofereça ajuda e apoio

Perceba quando uma mulher está precisando de apoio e não hesite em ajudar. Pode ser uma simples conversa ou a percepção de uma situação de risco, o importante é não deixar com que ela se sinta sozinha.

  • Pare de enxergar outras mulheres como rivais

Esqueça a ideia de que você precisa se comparar ou competir com outras mulheres para ter seu próprio valor. Cada uma tem seus próprios objetivos e há lugar para todas. A união nos fará chegar ainda mais longe.

  • Reflita sobre suas críticas

Toda vez que for criticar uma mulher, pare e pense se você faria a mesma crítica a um homem. Muitas vezes não é algo consciente, mas você pode discordar não da atitude em si, mas da percepção de que uma mulher não poderia se comportar de determinado jeito apenas pelo seu gênero.

Apesar do nome complicado, o conceito de sororidade é simples. É ouvir, dar voz, se colocar no lugar da outra. É estabelecer uma rede de apoio entre as mulheres e fazer com que elas sejam agentes de transformação na vida umas das outras. É exercitar um olhar mais humano e menos crítico para toda e qualquer mulher, sejam elas amigas ou não.

Leia mais: Meninas da Fundação Casa participam de oficina sobre empreendedorismo

+ Feminismo: onda conservadora exige força das mulheres

Siga CLAUDIA no Youtube