Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

O fim da birra das crianças

Jornalista americana revela o segredo do jeito francês de educar: preservar os direitos dos pais

Por Redação M de Mulher - Atualizado em 27 out 2016, 23h11 - Publicado em 31 jan 2013, 22h00

Um método para criar filhos que não dão vexame
Foto: Getty Images

A jornalista americana Pamela Druckerman acaba de lançar no Brasil o livro Crianças Francesas Não Fazem Manha (Fontanar), em que defende que na França os pequenos são mais educados porque, entre outras coisas, os pais sabem dizer “não”. Ela conversou com CLAUDIA. Confira abaixo a entrevista:

Como demonstrar autoridade sem morrer de culpa?

Os pais franceses não acham que vão prejudicar uma criança dizendo “não” a ela. Pelo contrário, creem que ela será infeliz se não conseguir lidar com a frustração. Consideram que tornar todas as regras negociáveis é cansativo para todos, incluindo os pequenos. Mas, ao mesmo tempo que são rigorosos quanto a algumas regras, no resto dão muita liberdade para os filhos. Essa combinação faz com que se sintam respeitados e autônomos.

O que você acha da supermãe, que vive para os filhos?

Os franceses acreditam que uma única parte da vida – mãe, trabalhadora ou esposa – não pode se sobrepor a todas as outras. Eles creem que uma criança fica muito pressionada se a felicidade, a energia e os interesses da mãe estão centrados nela. E isso não é bom para ninguém.

Limites à francesa

· As crianças devem dizer: olá, tchau, obrigada e por favor. Isso vai ajudá-las a entender que não são as únicas com sentimentos e necessidades.

· Quando elas se comportarem mal, use a tática dos “olhos grandes” – um olhar muito severo de repreensão.

· Lembre seus filhos de quem é o chefe. Pais franceses dizem: “Sou eu quem decide”.

· Não tenha medo de dizer não. As crianças precisam aprender a lidar com alguma dose de frustração.
 

Publicidade