Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Nobel da Paz, Malala tem medo de não entrar na faculdade

A paquistanesa acaba de entrar em uma turnê pelo mundo - e a ideia é conhecer possíveis ~ajudantes~ na luta pela educação de meninas.

Por Giovana Feix - Atualizado em 20 jan 2020, 14h21 - Publicado em 11 Maio 2017, 16h32

Malala Yousafzai começou no mês passado a “Girl Power Trip”, turnê que vai levá-la a países do mundo todo. A primeira parada escolhida pela ativista nessa grande viagem foi Lancaster, a cidade que mais recebe refugiados nos Estados Unidos.

A visita foi marcada por uma recepção digna de celebridades: todos queriam conhecer a jovem, que se tornou famosa aos 11 anos, mas, hoje, já está com 19.

Leia mais: Documentário sobre Malala Yousafzai chegará ao cinemas em novembro

O motivo pelo qual iniciou esta viagem, aliás, tem tudo a ver com essa fase tão específica da vida: a jovem quer conhecer possíveis ~ajudantes~ na luta pela educação de meninas – afinal de contas, ela logo estará preocupada com sua própria educação, na faculdade.

View this post on Instagram

Malala is back at home studying for exams. Sign up for updates on her #GirlPowerTrip travels to meet girls and fight for their futures: malala.org/trip

A post shared by Malala Fund (@malalafund) on

Continua após a publicidade

É justamente com o processo seletivo da instituição que deseja frequentar – Oxford, na Inglaterra – que a ativista mais tem se preocupado. Ela tem estudado muito, e, sobre isso, soltou uma frase bastante curiosa em entrevista ao “Refinery29” durante a visita a Lancaster:

As pessoas esquecem que vencer um Nobel não significa saber muita coisa nos estudos.

Malala ainda diz mais: apesar de já ter palestrado diante de vários líderes e pessoas influentes ao redor do mundo, ela ainda fica nervosa quando precisa falar em frente a uma sala de aula. O motivo? O enorme valor que ela dá aos professores.

Eu respeito muito meus professores“, ela diz, “e na escola você sempre quer ser perfeita, a melhor aluna. É muita pressão”.

Foi em 2014 que a paquistanesa recebeu o Nobel da Paz, tendo sido a pessoa mais jovem da história a receber o prêmio.

A “recompensa” veio depois dos trabalhos que, desde os 11 anos de idade (!!!), Malala sustenta – lutando pelo acesso de meninas do mundo todo à educação.

Em 2012, quando tinha apenas 15 anos, ela foi vítima de um ataque terrorista ao sair da escola, no Paquistão. Na região em que cresceu, no Vale do Swat, o grupo extremista Talibã chegou a exigir que garotas não frequentassem a escola durante um mês inteiro.

Muito além de desobedecer a esta ordem, Malala se tornou uma ativista por querer garantir a meninas como ela o direito ao estudo e ao aprendizado. Maravilhosa! 

É engraçado ver que até ela tem suas inseguranças, né?

Continua após a publicidade
Publicidade