Filhoterapia: brincar com o filho ajuda acabar com o estresse

Entenda como a interação afetuosa com a criança estimula a produção de hormônios ligados à sensação de bem-estar

As crianças precisam se sentir amadas e protegidas
Foto: Getty Images

Nada transforma tanto uma mulher quanto a maternidade. Além das mudanças físicas, a gestação, a fase de aleitamento e o contato com crianças produzem alterações psíquicas e cerebrais.

Chegar do trabalho e sentar um pouco com seu filho para uma sessão de histórias e de brincadeiras ajuda, inclusive, a aplacar o estresse do dia a dia e, de quebra, a afastar aquele medo de não ser uma boa mãe.

“Isso acontece porque a interação afetuosa com a criança estimula a produção de hormônios ligados à sensação de bem-estar, como serotonina e endorfina, além de reforçar a autoestima por causa da percepção da felicidade que sua presença proporciona a seu filho”, avalia o psicólogo Ivan Capelatto, autor de livros como Prepare as Crianças para o Mundo (Unicef) e Diálogos sobre a Afetividade (Papirus). A análise da especialista coincide com as conclusões de um estudo recente da Universidade de Kansas, nos Estados Unidos.

Lembre-se sempre: as crianças precisam se sentir amadas para terem segurança e acreditarem naquilo que pensam. Sendo assim, o relacionamento entre pais e filhos deve ser repleto de carinho, compreensão e cumplicidade.