Está na hora de ter mais um filho?

A jornalista Chris Flores e colunista da CLAUDIA FILHOS reflete sobre os dilemas que algumas mulheres enfrentam ao cogitar a segunda gravidez.

Foto: Getty Images

Encontro-me em um dilema pelo qual muitas de nós já passaram ou ainda podem passar: ter ou não o segundo filho. Essa parece ser uma decisão mais difícil do que ter o primeiro, que acontece meio que instintivamente. Namoramos, casamos, engravidamos. Pronto, nossa missão parece cumprida. O problema é que, após o primogênito, a ficha cai e sabemos a jornada que nos espera. Acabamos nos sentindo mais responsáveis por essa escolha, mesmo que aconteça “sem querer”.

Começar tudo de novo: noites sem dormir, enjoos e cólicas, será? Ao mesmo tempo, olho para bebês na rua e tenho uma saudade doce do que vivi, da amamentação e das descobertas entre mãe e bebê. Então, ouço a voz da consciência (e mais milhares de pessoas) me dizendo que filho único pode ficar mimado e que é bom ter logo para não deixar uma grande diferença de idade. Mas penso que seria egoísmo ter um filho sem tempo de criá-lo como eu desejo e que, talvez, seja incapaz de me dividir entre duas crianças. Agora, confesso, o que me pergunto de verdade é se conseguiria sentir o mesmo amor incondicional duas vezes.

De repente, a vida me apresenta uma telespectadora, Edileuza, mineira de 47 anos, mãe de 26 filhos. Ela e o marido (pai de todos) são casados há 33 anos e vivem com uma renda de 1,2 mil reais por mês. Os filhos nunca tiveram brinquedos e dormem no chão batido. O arroz que sobra no prato de um vai para o do outro. O caçula, de 1 ano, tem síndrome de Down e, como os irmãos, é apaixonado por essa mãe. Nenhum filho abandonou a escola ou entrou para a criminalidade. Todos obedecem às ordens dela com respeito e não querem sair de perto.

Ao conhecer essa mulher, de sorriso sereno, que passou 15 anos de sua vida grávida, percebo que qualquer questão pode virar uma desculpa e só resta uma a ser respondida: eu quero? Planejar é importante, até pela qualidade de vida que se quer dar ao filho. Edileuza não se orgulha de ver sua prole com frio e fome. Mas ela prova que, apesar da falta de instrução sobre planejamento familiar e conhecimento sobre psicologia infantil, ter amor é fundamental. E é possível ser incondicional 26 vezes.

Fica a dica

· Uma gestação pode ser totalmente diferente da outra. Recomece do zero, até na escolha do obstetra.

· Defina e faça antes da gravidez alguma mudança de imóvel ou reforma para receber o bebê.

· Mesmo sendo a segunda gravidez, não deixe de fazer diário, álbum ou chá de bebê. Os dois filhos merecem.

· Não tenha medo de reutilizar roupas e acessórios do primeiro filho. Poucos se lembram do que um bebê vestiu há pelo menos um ano.

· Por menor que seja o primogênito, ele deve ser avisado sobre a chegada do irmão. Melhor após três meses de gestação.

· Aproveite o planejamento e verifique sua saúde antes de engravidar.

 

Está na hora de ter mais um filho? Chris Flores é jornalista, autora do livro Um Bebê Em Casa e apresentadora do programa Hoje em Dia, da Record.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s