Dia Mundial da Alimentação defende dietas saudáveis para erradicar a fome

Veja quais as dicas das Nações Unidas para se alimentar de forma mais saudável e diminuir o impacto no meio ambiente

Nesta quarta-feira (16), é comemorado o Dia Mundial da Alimentação. A data existe desde 1981 e também celebra a criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em 1945, que tem como um dos seus principais papeis liderar a luta pelo fim da fome no mundo.

Esse ano, o dia, que é comemorado em 150 países, traz o slogan “Nossas ações representam o nosso futuro: dietas saudáveis para um mundo fome zero”. A campanha serve para alertar para uma alimentação mais diversificada e nutritiva através de uma mudança em cada indivíduo e também de políticas públicas que fomentem essa transformação social.

O início dos eventos para celebrar o dia no Brasil foi na segunda-feira (14) no Museu Nacional da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, em uma reunião de mais de 200 pessoas para discutir os impactos da alimentação saudável na vida das pessoas. Entre os convidados estava Bela Gil, chef de cozinha e apresentadora de TV vegana, que afirmou que as principais causas de morte no mundo atualmente estão relacionadas às doenças crônicas não-transmissíveis, ocasionadas por uma dieta de má qualidade.

“Hoje em dia há uma epidemia de má nutrição, que inclui desde desnutrição até obesidade. Precisamos mudar a maneira como nos alimentamos por uma questão de sobrevivência”, disse.

A chef também destacou a importância da “comida de verdade” em um mundo cheio de alimentos ultraprocessados e de que os rótulos dos produtos sejam mais claros ao informar os consumidores. Para Bela Gil, a alimentação saudável, além de fazer bem ao corpo, deve respeitar a terra, a natureza e valoriza o trabalho da agricultura familiar, que produz entre 70% e 80% dos alimentos que consumimos no Brasil.

Em um comunicado oficial, o papa Francisco também falou sobre o dia. “A batalha contra a fome e a desnutrição não vai terminar enquanto a lógica do mercado prevalecer e os lucros forem perseguidos a qualquer custo”, afirmou em mensagem lida por um representante do Vaticano.

Dicas

Nas suas redes sociais, a FAO compartilhou várias dicas simples de como se alimentar de forma mais saudável. Entre elas estão incluir mais verduras, frutas e grãos na alimentação diária, diminuir o consumo de açúcar, sal e temperos processados, além de trocar carboidratos comuns (arroz branco) pelos integrais e optar por gorduras não saturadas (abacate, amendoim), ao invés das saturadas.

A organização também ressaltou a importância de termos consciência que nossos hábitos alimentares impactam todo o planeta, e não somente nossa saúde. Por isso é tão importante saber qual a origem dos alimentos e dos impactos ambientais dos processos de produção. Outra atitude positiva é dar preferência a produtores menores e locais e reduzir o consumo de carne.

Leia mais: Corpo feminino é inspiração para artista plástica Rose Klabin

+ Professora ganha prêmio com projeto de educação sobre problemas sociais

PODCAST – Por que não sinto vontade de transar?

%d blogueiros gostam disto: