Como uma revista de moda fake salvou vítimas de violência doméstica

A ação, que aconteceu na cidade de Dénia, na Espanha, fez com que diversas mulheres resolvessem denunciar.

Como forma de ajudar as vítimas de violência doméstica, uma falsa revista feminina de moda camuflou um guia contra maus-tratos. Graças ao método, utilizado no município de Dénia, na Espanha, foi possível descobrir novos casos, como informa o jornal El Pais.

Cerca de 70 exemplares da publicação fake circularam durante quase dois anos por 18 estabelecimentos frequentados por mulheres do município. Por causa da ação, 24 mulheres que nunca haviam denunciado pediram ajuda. 

As reportagens mostravam, de forma disfarçada, como as mulheres poderiam identificar casos de violência de gênero. Uma delas, por exemplo, estava com o título de “Como fazer sucesso no Instagram”, mas na realidade ela ajudava a descobrir se você estava sendo vigiada por seu companheiro nas redes sociais e como evitar isso. Já outra, com uma personalidade da mídia, escondia depoimentos de sobreviventes de maus-tratos.

Segundo Eva Gadea, coordenadora da Unidade Artemis, divisão da da Polícia Local de Dénia responsável por combater a violência de gênero, a falsa revista foi mais efetiva do que os folhetos informativos. “As mulheres não os (folhetos informativos) pegam por medo de levá-los para casa e que o agressor as descubra e tome represálias. Ou simplesmente porque não são conscientes de que são vítimas”, disse ela em entrevista ao mesmo jornal.

Das 24 mulheres que ligaram para a Artemis durante o tempo da experiência, duas apresentaram denúncia e o restante foi enviado ao Centro da Mulher para que as ajudassem a sair do ciclo de violência. “Por fim o que pretendemos já não é somente as denúncias, mas também que as mulheres sejam conscientes do problema e tomem medidas”, afirma Gadea.

Leia também: Cofundadora do Nubank revela como concilia maternidade e trabalho

Quatro tratamentos para combater o estresse

PODCAST – Como consumir menos, de forma consciente e inteligente