Clique e assine com até 75% de desconto

Cineasta conta a história do irmão com Síndrome de Down em documentário emocionante

"Sempre ouvi das pessoas que as coisas mais bonitas que escrevo são sobre ele e eu tenho certeza, porque ele é a coisa mais bonita que já me aconteceu", descreve Dayana Sokem Dalloul, de 22 anos.

Por Redação CLAUDIA Atualizado em 27 out 2016, 23h21 - Publicado em 18 jan 2016, 04h48

“Transformei meu TCC em um ato de amor”. É assim que Dayana Sokem Dalloul, de 22 anos, descreve o emocionante documentário produzido para conclusão do curso de cinema, que conta a história de seu irmão Mohamed Blal Sokem Dalloul, de 18 anos. 

“Com certeza um dos objetivos foi quebrar o preconceito. Um dos objetivos foi mostrar para as pessoas que isso não é uma coisa ruim, não é uma doença, não é algo que você tem que temer quando vai pensar em ter um filho. É algo que só traz ensinamento. É difícil sim, mas é sim uma grande oportunidade de aprendizado. Me sinto honrada em ter um irmão com Síndrome de Down”, afirmou Dayana ao G1.

Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Além do trabalho lhe render nota 10, ele também contribuiu para o desenvolvimento de Mohamed, que participou de cada detalhe da produção. “Meu irmão sempre foi muito desenvolvido e muito estimulado em casa. Só que eu sinto que o filme fez com que nos empenhássemos ainda mais na síndrome. Percebi que ele foi aprendendo a falar coisas que antes não sabia falar, ele foi desenvolvendo senso crítico de tudo o que estava ao redor. Fiquei muito impressionada e sinto que o filme ajudou nisso, foi um grande passo na vida dele”.

O filme já estava pronto, mas ainda não tinha sido lançado. Foram seis meses até a divulgação. Tudo isso, pois a autora fazia questão de que o conteúdo chegasse ao público com legenda, libras e áudio descrição.

A cineasta conta que, apesar do reconhecimento dos professores e da família, a melhor sensação veio do elogio de Mohamed. Segundo ela, ele agradeceu com muito carinho: “Day, muito obrigada! Eu amei o meu filme! Obrigada por ter feito o meu filme!”.

Confira o resultado:

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade