“Bebê com sono tranquilo é bebê mais saudável”, confirmam as mães

Mães compartilham dicas e truques ótimos para que a hora de os bebês dormirem não se transforme em um pesadelo

Quanto mais conforto e tranquilidade na hora da soneca, mais saudável será seu desenvolvimento 
Foto: Think Stock

Dormir é fundamental para o desenvolvimento saudável da criança. O recém-nascido deve dormir, em média, 21 horas. Ele fica acordado somente para mamar e tomar banho. Aos 6 meses, o ideal é que o bebê durma 16 ou 17 horas. Após completar 1 ano, 15 horas, sendo 12 à noite e três durante o dia, é suficiente.

No colo ou na cama?
“Meu primeiro filho deu trabalho para dormir. Bastava ele começar a chorar, e eu corria para pegá-lo. Resultado: passou a adormecer somente no colo, o que me deixava extremamente cansada. Com o segundo, foi muito mais fácil. Coloco o Miguel acordado no berço, dou um beijo de boa-noite e saio do quarto. Às vezes, ele resmunga ou chora um pouco. Vou até lá, faço um carinho e deixo o quarto. Evito conversar com ele. Mãe de segunda viagem é menos ansiosa e passa mais segurança para o bebê.”
Juliana, 35 anos, empresária, mãe de Miguel, 3 meses, e de Martim, 2 anos e 7 meses 

Chupeta e música lenta ajudam
“Dou chupeta para Sofia somente na hora de dormir, quando a coloco no berço. Ela, então, liga um móbile que fica preso na grade e toca uma musiquinha suave. Nos dias em que percebo que minha filha está mais agitada, com dificuldade para dormir, eu deito numa cama que mantenho próximo ao berço e fico quieta. Assim, ela não se sente sozinha e acaba pegando no sono.”
Daniella, 36 anos, dermatologista, mãe de Sofia, 1 ano e 7 meses 

Diferenciar sono diurno de sono noturno
“Quando meu filho era menor, eu procurei mostrar a ele a diferença entre o sono diurno e noturno para evitar que ele trocasse o dia pela noite. Eu deixava a claridade natural entrar no quarto e não me preocupava com os barulhos da casa, como conversas, ruído de máquina de lavar ou de outros utensílios domésticos. O bebê precisa se acostumar com esses sons e saber que isso ocorre durante o dia. Já à noite, eu apagava a luz do quarto e mantinha a casa silenciosa. Na troca da fralda noturna, não conversava com ele e fazia o minímo de barulho possível. Resultado: ele sempre dormiu muito bem nos dois períodos.”
Léia, escrevente, mãe de Rafael, 1 ano e 11 meses

Troca de fraldas e mamada noturna
“Com apenas 2 meses, a Beatriz já dormia a noite toda. Comecei não trocando mais a fralda durante a noite e, em seguida, tirei a mamada noturna, seguindo a orientação da pediatra, que me garantiu que minha filha estava com ótimo peso. Nos primeiros dias, ela chorava, eu ia até o berço e dava a chupeta, mas não pegava no colo. Logo se acostumou.”
Fernanda, 30 anos, médica, mãe de Beatriz, 5 meses