9 ideias para inovar no trabalho

Criatividade e ousadia são imperativos cada vez mais fortes no mercado. Para não ficar para trás, fuja do convencional sempre que possível. Mas não se preocupe, tornar-se uma profissional arrojada é mais simples do que parece

Em um mundo cada vez mais competitivo, saber se reinventar é um diferencial poderoso – e pode ser a garantia do sucesso. Hoje, o Brasil é só o 70º país mais inovador do mundo entre os 141 investigados pelo The Global Innovation Index 2015, ranking elaborado pela universidade americana John Cornell, a escola de negócios francesa Insead e a World Intellectual Property Organization (agência da Organização das Nações Unidas que gerencia propriedade intelectual). Essa posição mostra que ainda temos muito espaço para desenvolvimento. E isso não vale só para startups ligadas à area de tecnologia. Ao buscar novidade, uma empresa, seja da área e do tamanho que for, demonstra estar conectada ao mercado e ao desejo do consumidor – e, quanto maior for essa ligação, mais natural e sustentável será o processo pelos corredores da organização também. “A boa ideia pode vir de qualquer lugar. Então, é essencial ter um ambiente propício, que possibilite e estimule a discussão”, afirma Mônica Duarte Santos, diretora de recursos humanos do Google na América Latina. Para facilitar esse processo, a liderança deve se mostrar aberta, dando espaço para a equipe propor mudanças. Esta, por sua vez, tem de estar a par da missão do negócio. “Muitos acham que a inovação precisa ser radical, mas ela começa na maneira de cada um agir”, pontua Bel Pesce, fundadora da FazINOVA, escola de empreendedorismo, em São Paulo.
 
1. Coloque o foco no cliente

A inovação funciona quando você identifica um ponto falho em um processo ou uma necessidade não suprida do consumidor e consegue corrigir o buraco. Para isso, treine sua capacidade de observação, analise o comportamento das pessoas que estão buscando seu produto e, principalmente, ouça as reclamações. “Faça do relacionamento com o cliente o diferencial da sua empresa. Pode ser melhorando o atendimento, o acompanhamento pós-venda ou facilitando o acesso ao serviço”, sugere Marcus Quintella, coordenador do MBA em Empreendedorismo da Fundação Getulio Vargas, do Rio de Janeiro. “Se ele se sentir valorizado, virará um comprador fiel.”

2. Não tenha medo do novo…

Só quem está em crise deve buscar mudanças? Não! “Até mesmo empresas lucrativas podem crescer ainda mais se forem bem direcionadas e inovadoras em processos produtivos e de venda”, diz Quintella. O medo de arriscar, por outro lado, provoca estagnação e leva até ao fechamento de negócios. “É uma situação assustadora, mas não podemos cair no conforto da inércia”, observa Bel Pesce. Antes de tudo, não encare a mudança como um jogo de tentativa e erro – ela deve ser planejada, aliás. “Não pode ser uma mudança só para fazer de outro jeito. Pense: qual é o motivo disso? Meu resultado será melhor depois?”, diz Mônica Duarte Santos. Para superar o medo, comece com passos menores, traçando um plano detalhado. Deixe a paixão de lado ao desenhar essas metas. Assim, você não corre o risco de pender mais para o seu desejo do que para a situação real.
 
3 …Nem do fracasso

Um dos lemas mais populares entre os funcionários do Facebook é: “Trabalhe duro, erre ainda mais”. “Por aqui, o importante não é acertar de primeira, mas conseguir que o resultado final seja o melhor possível”, explica Ana Carolina Borghi, gerente de recursos humanos do Facebook para a América Latina. Um escorregão não vai condenar sua carreira ao fracasso. Em vez disso, pode ser uma oportunidade de aprendizado: reflita e aponte o que não deve ser repetido. “A chance de inovar é maior quando a pessoa se permite falhar, porque ela sabe que dali virá uma noção mais clara do que enfrenta”, diz Bel.
 
4. Mostre o progresso, não só o resultado final
 

“Qualquer que seja a sua proposta de renovação, ela deve ser compartilhada com a chefia”, afirma Celso Braga, organizador do livro Inovação – Diálogos sobre a Prática (Bridge & Books). Apresente as pequenas vitórias conquistadas em cada etapa em vez de um grande plano que será realizado a longo prazo e sua concretização total. E não se force a “pensar grande”: a ideia modesta também é válida e valorizada, pois ela serve de degrau para desafios maiores. “Ressalte o que a mudança gerará e os ganhos esperados. Isso ajudará a convencer seus superiores”, ensina Bel. “Um líder não pode ir contra resultados, mesmo que eles sejam pequenos”, conclui a empreendedora.
 
5. Esteja sempre atenta
 
“O inovador é um pesquisador. Ele está constantemente estudando e vive de olho no futuro”, descreve Quintella. Preste atenção no mercado, acompanhe as transições e tente antecipar movimentos. Foi assim que surgiu a ideia do Get In (aplicativo que permite ao usuário entrar na fila de espera de um restaurante remotamente), hoje presente em mais de 20 cidades do país. “Recebemos a demanda de um estabelecimento e, ao fazer pesquisa na área, percebemos que várias outras casas queriam proporcionar experiências melhores a seus clientes e menos stress na espera”, explica o sócio e designer André Tamiazzo. É importante destacar, entretanto, que o tino para a inovação não aparece de um dia para o outro. “Você deve se condicionar até que criar se torne um processo natural”, destaca Sidirley Fabiani, um dos autores de Inovação – Diálogos sobre a Prática (Bridge & Books). “A criatividade necessita de estímulo, empenho, foco e investimento”, completa.
 
6. Troque experiências

Amigos de outras áreas e até mesmo os concorrentes têm muito a ensinar. Ao trocar figurinhas, você descobrirá novas possibilidades de gestão ou ouvirá falar de uma tendência que impulsionará seu negócio, por exemplo. Vale também comparecer a palestras e eventos corporativos na sua área. “E eu não atentaria só ao casos de sucesso. Muitas vezes, a história da falha alheia evita que você vá pelo mesmo caminho”, afirma Mônica. Para quem não tem acesso fácil a esses encontros, outra dica é participar de fóruns online, onde usuários dividem angústias e vitórias.
 
7. Dê um tempo para a ideia 

Impulsividade não é a melhor característica de um profissional. “Uma decisão precipitada, sem estudo ou avaliação, é muito arriscada”, avisa Quintella. Espere alguns dias para que ela amadureça antes de colocá-la em prática. Volte ao plano inicial algumas vezes e reveja as propostas. Com o caminho apurado, descarte etapas desnecessárias e custosas.

8. Use a tecnologia
 
“A inovação também está no processo, não só no produto final”, explica Mônica. Por isso, a burocracia não encontra espaço em empresas inovadoras. Sugira na empresa o uso de ferramentas que aceleram operações internas e economizam tempo. “Há várias gratuitas disponíveis na internet”, aconselha Tamiazzo.
 
9. Acredite na diversidade

“Quanto maior a variedade de perfis dentro de uma empresa, com bagagens culturais e experiências distintas, mais rico será o processo de desenvolvimento de novas ideias”, defende Ana Carolina Borghi. No Google, os funcionários de todas as áreas se encontram uma vez por semana para uma reunião de propostas. Nessas conversas, qualquer sugestão pode ser apresentada – de uma reforma na copa até um novo produto. Converse com a diretoria sobre a possibilidade de promover mais diálogos entre as equipes da empresa onde você trabalha e explique as vantagens de criar um espaço menos homogêneo.