Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

9 aplicativos que vão ajudar você a praticar atividade física

Testamos os aplicativos de exercícios físicos mais bem avaliados do mercado e eles são ótimos para quem quer treinar em casa

Por Fernanda Morelli - Atualizado em 18 fev 2020, 10h26 - Publicado em 28 mar 2019, 18h26

Os aplicativos voltados para a prática de atividade física oferecem mais opções para as pessoas se exercitarem. Eles permitem que o treino seja feito em casa com poucos aparelhos (ou nenhum). O time de CLAUDIA testou os mais bem avaliados do mercado para vários níveis de condicionamento e entrega aqui os resultados. Confira:

BTFIT

Aplicativo/Reprodução

QUEM TESTOU: Fernanda Morelli, editora de beleza

“Cansada da mesmice da academia, venho buscando alternativas para manter as atividades sem perder o ritmo. O BTFIT, produzido por professores da Bodytech, oferece aulas gratuitas de dança, funcional, abdominal e pilates ou planos personalizados com ioga e balé fitness, entre outros, a 129,90 reais por ano. Escolhi as videoaulas de 20 minutos com exercícios funcionais e me senti como se estivesse na sala com o treinador. As instruções são superdidáticas e destacam pontos importantes a toda hora (indicam quando parar para beber água ou lembram de arrumar a postura). Fiquei animada para continuar!”

SWEAT

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Isabella Marinelli, editora de comportamento

Continua após a publicidade

“Já havia experimentado apps de exercícios, mas nunca me empolguei. Resolvi dar uma chance ao Sweat, da personal trainer americana Kayla Itsines. Entre os vários programas (que prometem aumentar a força e a resistência ou são indicados para a fase pós-parto, por exemplo) escolhi o HIIT. A prática inclui exercícios curtos, mas de alta intensidade. Saí pingando! O tempo passou e nem percebi, o que é perfeito para quem tem preguiça de malhar. Se quiser desbravar mais o aplicativo, há uma aba para acompanhar perda de medidas e controle alimentar. O lado negativo é que é todo em inglês. Custa 389,90 reais por ano.”

RUNTASTIC

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Lorena Tabosa, editora de casa e cozinha

“Sou bem preguiçosa quando o assunto é ginástica, mas adoro sair para andar sem rumo. A proposta do Runtastic, que é se exercitar na rua, me pareceu, portanto, ideal. Escolhi o plano iniciante, gratuito, cuja meta é aprender o básico de corrida de seis a dez semanas. Há outros três programas disponíveis. Um mapa e um cronômetro ajudam a acompanhar a rota e a evolução. O app também marca as calorias perdidas. Isso me permitiu observar os movimentos, saber qual gasta mais energia e entender como combinar elevação com velocidade. Facilitou estabelecer o ritmo do treino para atingir os objetivos.”

7 MINUTE WORKOUT CHALLENGE

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Anna Giulia Petrosino, estagiária de arte

Continua após a publicidade

“O que mais chamou minha atenção no 7 Minute Workout Challenge foi a promessa de completar o desafio em apenas sete minutos. Os exercícios propostos são de fácil execução e não exigem uso de aparelhos: polichinelo, agachamento, abdominal e flexão de braços. No total são 12 atividades de 30 segundos cada uma com dez segundos de intervalo entre elas. Não me senti tão cansada na hora porque o plano intercala exercícios aeróbicos com anaeróbicos, mas, no dia seguinte, o corpo ficou dolorido. Vale a pena caso você não tenha muito tempo para a prática de exercícios. Apesar de só estar disponível em inglês, é simples de usar.”

DOWN DOG

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Pamela Malva, estagiária de texto

“Com o nome de uma posição de ioga, o Down Dog permite escolher desde o nível da atividade até a voz para narrar os exercícios. A versão gratuita oferece atividades completas, mas os planos pagos (162,90 reais o anual ou 25,90 reais por mês) agregam incrementos. Escolhi uma aula de 20 minutos para iniciantes. Apesar de o áudio ser em inglês, há textos em português e todos os comandos são bastante claros, mostrando o passo a passo das posições. O treino trabalha todas as áreas do corpo. Senti os músculos de pernas, braços e trapézio pulsando. Nunca tinha feito aula de ioga e fiquei feliz por conseguir concluir uma prática, sentindo o benefício imediato na respiração controlada e na sensação de bem-estar.”

NIKE TRAINING CLUB

reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Natalia Garcia Maruyama, estagiária digital

Continua após a publicidade

“Ideal para quem busca um aplicativo completo (e totalmente gratuito), o Nike Training Club permite escolher os níveis de dificuldade e personalizar o treino de acordo com seus objetivos (trabalhar só pernas, abdome, braços, fazer alongamento…). Para evitar surpresas, é possível observar quais movimentos serão feitos antes de começar. Para quem não abre mão de uma boa playlist ao se exercitar, um bônus: você pode vincular as músicas do seu celular ao aplicativo e planejar em qual momento ela deve tocar. Não é imprescindível, mas, se você tiver o Apple Watch, pode ainda acompanhar os batimentos cardíacos e registrar calorias perdidas.”

FREELETICS

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Isabella D’Ercole, editora

“As mulheres trincadas que demonstram os treinos do app dão a letra de que o Freeletics é para quem realmente gosta de se exercitar. Vou à academia cinco vezes por semana e confesso que achei intenso. Depois de fornecer dados como peso e altura, me deparei com dez opções de treinos para objetivos diferentes. Algumas séries (de 30 a 60 minutos) podem ser feitas em casa ou no parque; outras exigem barra e apetrechos para complementar. Qualquer uma dessas opções custa 199,90 reais ao ano ou 39,90 reais por um mês (tem uma semana grátis de teste, bastante indicada). Os vídeos são explicativos e repetem o movimento várias vezes. Minha dica é dominar o exercício antes de tentar realizá-lo com mais fluidez.”

COUCH TO 5K 

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Alessandra Balles, editora digital

Continua após a publicidade

“O nome não engana: ‘do sofá para os 5 quilômetros’ é um app ideal para sedentários que querem começar a correr. Com etapas bem planejadas, o programa dura dois meses, com treinos de 30 minutos por dia (em média), três vezes por semana. O objetivo é atingido aos poucos. No começo, alterna-se, por exemplo, um minuto de corrida com 90 segundos de caminhada. Conforme avança, maior é o período da corrida. Para quem não tem praticado exercício, correr seis minutos já no primeiro dia pode ser bem puxado. Embora o Couch to 5K seja em inglês, é bastante intuitivo. Na terceira semana, o plano passa a ser pago (37,90 reais), mas é um investimento válido por tornar os 5K um sonho possível.”

HOME WORKOUT

Reprodução/Reprodução

QUEM TESTOU: Barbara Cestaro, repórter de moda

“Apesar de trazer como ícone um homem, o aplicativo é unissex e tem opções para todos os condicionamentos. De fácil navegação, disponibiliza diferentes metas e divide os treinos por partes do corpo. Durante a atividade, o sistema gera um relatório com as calorias perdidas e o tempo realizado. Como não sou uma pessoa muito ativa, escolhi o sugerido para iniciantes e comecei pelo abdome. Foram 15 minutos no total, com 12 tipos de exercício, o que deixa a prática mais dinâmica. Consegui realizar com tranquilidade todos eles até a contagem final, mas me senti bem cansada depois. Há poucos pacotes gratuitos. O anual, que dá acesso ao programa completo, sai por 152,90 reais.”

Leia mais: 8 lançamentos incríveis de moda e beleza

+ O que é e como tratar rosácea

Continua após a publicidade

Siga CLAUDIA no Youtube

 

Publicidade