11 dicas para planejar o casamento sem passar vergonha

Reunimos questões comuns envolvendo convidados e dinheiro. E mostramos que é possível contornar situações tensas sem ficar com as finanças no vermelho nem roxa de raiva ou vergonha.

Saia com classe de saias justas com familiares e amigos
Foto: Getty Images

1. Meus pais estão pagando parte da festa. Como explicar que não podem convidar os amigos deles em detrimento dos nossos?

Ao contrário de antigamente, os casamentos atuais são muito mais para os noivos do que para as famílias. Muitos pais já estão abertos a isso. Mas, caso os seus precisem de um empurrãozinho para entender, quanto antes vocês conversarem, será melhor – assim, eles não sofrerão com frustrações de última hora, como ter de retirar nomes da lista. Com jeito e carinho, demonstre as limitações da lista de convidados e negocie alguns critérios, como um número máximo de pessoas que poderão convidar.

2. Trabalho em uma empresa grande e tenho ótimos relacionamentos. No entanto, não posso convidar todo mundo. Como fazer?

Uma boa solução é colocar no mural do escritório o convite religioso ou enviar um e-mail a todos os colegas convidando só para a cerimônia. Já os mais próximos, você convoca pessoalmente para a festa. Alguns nem tomarão conhecimento, outros acharão normal não participar de tudo porque não são tão próximos a você, e uma minoria pode ficar melindrada. Impossível agradar a todos. Se alguém reclamar, explique que a festa será bem íntima. Outra forma de ser gentil e não deixar a data passar em branco é distribuir, alguns dias antes, bem-casados ou minibolos com um cartão dizendo: “Meu casamento será uma confraternização familiar e poucos amigos poderão participar. Não poderei tê-lo perto de mim, mas trago um pouco da festa para você”.

3. Devo convidar para o meu casamento todas as pessoas que já me convidaram para os seus respectivos?

Não necessariamente. Depende dos critérios que cada casal define para fazer a própria lista. Porém, na dúvida se deve ou não convidar determinada pessoa, faça uma análise de custo x benefício: o que perde ou ganha se não chamá-la? Se o custo for maior, convide. Em todo caso, se fizer uma lista para a igreja e outra para a festa, poderá ao menos convidar todo mundo que quiser na primeira.

4. Convidei minha melhor amiga para ser madrinha e a filhinha será a dama de honra. Devo pagar pelo vestido da menina?

Nunca foi hábito brasileiro, e sim tradição americana, a noiva pagar as despesas com daminha ou madrinhas. Mas, se além de convidar a sua amiga você também escolheu a filha para ser dama, é sinal de que são íntimas o suficiente para saber se ela tem condições de arcar com o vestidinho ou não. Você pode se oferecer para ajudá-la, caso saiba que vai ficar pesado demais.

5. Vamos casar fora da nossa cidade, seguindo a tendência destination wedding. Devemos pagar passagens e hospedagens dos padrinhos e de nossos pais?

Não é necessário que você arque com esse custo, mas você pode e deve combinar alguma condição especial com o hotel, oferecendo desconto na hospedagem e nos serviços. Outra dica importante é fazer contato com algum salão ou equipe de cabeleireiro e maquiador local, para indicar às madrinhas e amigas ¿ você pode tentar negociar também algum desconto ou pacote especial. O ideal para quem opta por casar fora da cidade onde os noivos moram é montar um site com todas as informações sobre o local, opções de hospedagem, de transporte, de salões ou serviços de cabeleireiro e maquiagem, entre outras que possam ser úteis. Mostra a preocupação e a atenção dos noivos com todos os convidados. Porém, se quiser e puder, o casal pode oferecer meio de transporte e hospedagem para garantir a presença deles.

6. Meu pai não tem condições financeiras de me ajudar com o casamento. Já meu sogro, sim. Como evitar que meus pais se sintam mal?

Seus pais somente se sentirão bem se você também se sentir confortável em aceitar que o sogro assuma despesas da festa. Primeiro, faça com seus pais uma lista dos convidados em potencial. Depois, peça que assinalem os essenciais. Leve então ao sogro e juntamente com seu noivo chegue a um acordo do que é possível e viável. Pense que o casamento é um sonho das duas famílias e todos devem ser valorizados sem distinção. Aproveite também para envolver seu pai nos preparativos de uma maneira alternativa, quem sabe ajudando a fazer a prova dos doces e bolos. Ele vai ficar feliz!

7. Temos um orçamento superapertado. Então, minha sogra ofereceu o vestido de casamento dela, mas não faz o meu estilo. E agora?

Jamais aceite só para agradar a sua sogra. É o seu casamento. Não se esqueça de agradecê-la pelo gesto, demonstre quanto a emocionou. Daí, mostre os modelos que você havia escolhido nas revistas. Dessa forma, deixará claro que seu estilo é bem diferente, que você não está fazendo nenhuma desfeita… porém, seu desejo é outro.

8. Decidimos casar em um resort, numa praia paradisíaca. Significa que os nossos convidados vão precisar se hospedar lá. Pega mal essa exigência?

Você não precisa colocar essa informação no convite, mas deve criar um site ou contratar o serviço de RSVP de alguma assessoria para que os convidados possam se informar sobre a hospedagem (que deve ser mais barata por se tratar de casamento) e tirar possíveis dúvidas. Só não se ofenda se alguém não comparecer, e aceite a recusa com naturalidade, sem indagar o motivo.

9. Meus sogros convidaram a mais do que o devido e não aceitam cortar ninguém. O que fazer?

Como agora, teoricamente, eles já se excederam, vale sugerir que banquem a despesa do número extra de pessoas. Se a questão for delicada demais e a lista nem cresceu tanto, troque o seu bolo de sete andares por outro de três ou elimine alguma outra despesa que não seja fundamental. Tudo para tentar ajustar o orçamento. Faça sua escolha, avaliando o que causará menos stress familiar.

10. Já temos casa montada e gostaríamos de pedir dinheiro de presente. Como podemos fazer isso sem sermos deselegantes?

Houve um tempo em que isso causava bastante estranhamento. Hoje, nem tanto. Mas é preciso ter em mente que presentes são facultativos, uma gentileza dos convidados. Se querem mesmo receber dinheiro, sugiram (não imponham) alternativas mais chiques e aceitáveis, como cotas simbólicas de lua de mel. Assim, cada um presenteará com a quantia que desejar, e vocês poderão fazer uma bela viagem ou usar o montante da forma que preferirem.

11. Como devo anunciar a lista de presentes de maneira mais delicada e sem parecer que estou impondo?

Uma coisa é certa: cartãozinho preso no convite avisando as lojas onde você colocou a lista está fora de questão. O mais provável é que os próprios convidados se encarreguem de descobrir essa informação. Seja no site dos noivos, seja com o serviço de confirmação de presença, seja perguntando a pais e familiares.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s