Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Vietnã vence a Covid-19 com medidas rigorosas e de baixo custo

O país tomou medidas duras e até controversas, mas hoje comemora os resultados. Foram registrados zero óbitos por Covid-19.

Por Júlia Warken - Atualizado em 31 Maio 2020, 17h37 - Publicado em 31 Maio 2020, 17h35

O Vietnã é um país com quase 100 milhões de habitantes, que faz fronteira com a China e tem um PIB per capita de menos de 2,6 mil dólares. Por lá, o sistema de saúde é precário. Segundo o Banco Mundial, são oito médicos por 10 mil habitantes – o que representa um terço do que tem a Coreia do Sul, por exemplo. E mais: o Vietnã é um país com alta densidade populacional.

Parece o cenário perfeito para a proliferação do coronavírus, mas, contra todas as expectativas, o Vietnã conta com zero óbitos em decorrência da Covid-19 e registrou menos de 350 pessoas infectadas até o momento. Parece bom demais para ser verdade, mas o país tem recebido elogios da Organização Mundial de Saúde e chama a atenção do mundo.

Mas como isso é possível? Para início de conversa, o Vietnã agiu rápido nas medidas de prevenção da doença. O país adotou uma medida de enfrentamento à Covid-19 denominada pelos especialistas como “de baixo custo”. Além de isolar os infectados, o país esforçou-se em localizar as pessoas com quem os doentes tiveram contato direto ou indireto. Todas essas pessoas participaram de uma rigorosa quarentena e, ao final, quase 100 mil tiveram que ficar isoladas.

Densidade populacional não impediu o sucesso das medidas preventivas Linh Pham/Getty Images

Outra medida tomada com rapidez após o surgimento do vírus na China foi o isolamento imediato de todo mundo que chegou do exterior. Essas pessoas tiveram que ficar confinadas durante duas semanas, geralmente em prédios militares afastados dos centros urbanos. Bairros inteiros também foram isolados. Uma comunidade de 10 mil habitantes em Hanói, a capital do país, passou três semanas em regime de confinamento.

Continua após a publicidade

O plano para o enfrentamento “de baixo custo” à Covid-19 começou a ser traçado por especialistas em meados de janeiro, dois meses antes de a OMS declarar que o mundo enfrentava uma pandemia. Em 1º de fevereiro os voos entre Vietnã e China foram suspensos e, logo após, todos os voos internacionais. As fronteiras terrestres com a China também foram fechadas nessa época, por mais que o Vietnã dependa comercialmente do país vizinho. Foi uma medida dura e controversa do ponto de vista econômico.

A testagem em massa foi outra medida tomada. Segundo a BBC, o país testou quase 900 pessoas para cada novo confirmado da doença, a maior taxa de testes por caso confirmado do mundo.

Testagem em massa e isolamento rigoroso foram medidas tomadas pelo governo Linh Pham/Getty Images

No início de abril foi estabelecido lockdown em todo o país durante três semanas. Depois disso, o relaxamento da quarentena só começou acontecer quando o país bateu a marca de duas semanas sem transmissão comunitária. Fechadas desde o começo do ano, as escolas começam a reabrir e o país está há mais de 40 dias sem transmissão local da Covid-19. As empresas também estão voltando a funcionar.

Depois de ter tomado atitudes que chegaram a ser consideradas exageradas e pesadas demais, o governo vietnamita hoje comemora os resultados e a reabertura do país.

Publicidade