CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Varíola dos macacos: Cuidados para se ter durante a gestação

Brasil já possui seis casos confirmados da doença causada pelo vírus Monkeypox

Por Da Redação 21 jun 2022, 09h37

A varíola dos macacos, doença que ocorre com mais frequência na África, está se espalhando para outros países. Causada pelo vírus Monkeypox, seu contágio é feito através do contato com os fluidos corporais de outra pessoa ou animais contaminados com a enfermidade. Objetos que tiveram contato com os fluidos da pessoa infectada como lençóis e toalhas também podem transmitir a virose. 

No intervalo entre os anos de 2018 e 2021, sete casos foram descobertos no Reino Unido, o que indicou que a doença poderia ser transmitida para quem fossem para países com um número significativo de casos. O que fez a preocupação com a doença aumentar foi o contágio da doença em pessoas que não fizeram viagens para países onde a doença tem uma crescente. 

O vírus vem sendo visto nos Estados Unidos, Canadá, Europa e agora também no Brasil que já tem seis casos confirmados e eles são quatro em São Paulo, um no Rio Grande do Sul e um no Rio de Janeiro, além dos casos que estão em observação em outros estados. 

Varíola dos macacos na gravidez

Como a varíola dos macacos é transmitida por fluidos corporais é indicado que a gestante faça o parto por meio de cesárea ao invés do normal. As diretrizes do Royal College of Obstetricians and Gynecologists e o Royal College of Pediatrics and Child Health, do Reino Unido, onde a doença já foi constatada indicam a precaução.

Ainda não se tem muitos casos da doença diagnosticados em gestante, mas as orientações são feitas com embasamentos do que já se entende da enfermidade. Um estudo divulgado na Ultrasound in Obstetrics & Gynaecology, observou que de quatro gestantes infectadas, três sofreram aborto e uma deu a luz a uma criança saudável. Dois dos três casos de perda do bebê aconteceram no primeiro trimestre e não passaram por teste; o último ocorreu  na 18ª semana e o feto tinha sinais de infecção, com lesões evidentes na pele. Isso mostra que a criança pode ser infectada na barriga da mãe. 

Mas ainda sim a cesárea é o procedimento mais indicado para o momento do parto, por ser uma opção mais segura. Depois do nascimento a indicação é que o bebê seja testado e caso não possua o vírus, deve ser isolado e não ter contato com a mãe e nem mesmo com o leite dela para que não haja contaminação. 

Para saber mais informações sobre o tratamento da varíola causada pelo Monkeypox, prevenção e vacina leia a matéria completa em Bebê.com.br. Acesse aqui. 

Continua após a publicidade

Publicidade