Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Tudo o que você deve saber para congelar os óvulos e adiar a maternidade

Como funciona a criopreservação? Quantos óvulos congelar? Quanto custa para fazer o congelamento? As principais questões respondidas por especialistas.

Por Daniella Grinbergas
Atualizado em 15 jan 2020, 21h19 - Publicado em 29 mar 2019, 14h19

Não tem como negar: as oportunidades de carreira, a busca pela independência financeira, a vida corrida, a procura por parceiros ideais têm feito com que as mulheres adiem a maternidade. Nada mais justo. Porém, nosso organismo não está preparado para esse atraso. Nosso corpo funciona como um reloginho e ele não espera muito: após os 35 anos de idade há uma queda brusca na taxa de fertilidade feminina.

Por isso, muitas mulheres estão procurando uma alternativa que tem se mostrado muito eficiente: o congelamento dos óvulos.

E a técnica vem ganhando muitas adeptas. Segundo dados do Fertility Medical Group, empresa especializada em reprodução assistida e que conta com laboratório de criopreservação, houve um aumento de 176% nos procedimentos de congelamento de óvulos na clínica.

Entendendo o corpo e esse tal reloginho

Para começar, é preciso saber que a mulher já nasce com uma quantidade contadinha de óvulos. “Em média 2 milhões, mas na puberdade, quando começa a menstruar, a mulher tem, em geral, 300 mil óvulos”, aponta a Dra. Carolina Curci, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana. Mas se esse número parece grande, não se iluda! A reserva ovariana só vai diminuindo com passar dos anos, assim como a qualidade dos óvulos.

“Eles envelhecem e a queda da qualidade oocitária diminui as taxas de fecundação e gestação da mulher, além de aumentar as taxas de abortamento e malformações fetais”, alerta a dra. Karina Tafner, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana assistida.

Por isso, se a ideia é congelar os óvulos, quanto mais cedo agir, maiores as chances de guardar óvulos mais saudáveis! A idade mais tardia recomendada é de 35 anos. “A taxa de fecundidade cai para menos de 10% após os 35 anos de idade”, afirma o dr. Edson Borges, diretor do Fertility Medical Group.

Continua após a publicidade

Como funciona a técnica

Você sabia que nosso ciclo funciona com somente um óvulo maduro por mês? Mas para fazer o congelamento, é preciso capturar mais de uma só vez. Por isso, a etapa inicial é o estímulo ovariano, por meio de injeções recomendadas pelo médico. “O objetivo é promover o desenvolvimento de múltiplos óvulos”, diz a dra. Karina.

Durante essa etapa, são feitos ultrassons para acompanhar e avaliar o tamanho dos folículos. “Quando eles atingem o tamanho ideal, marcamos a aspiração para captura dos óvulos”, conta Karina.

A coleta se faz em centro cirúrgico, com sedação, sem dor, via canal vaginal. O procedimento costuma durar 20 minutos. Imediatamente após a retirada, os óvulos são encaminhados para o laboratório.

O método de congelamento usado atualmente é a vitrificação: os óvulos são tratados com substâncias crioprotetoras e imersos em nitrogênio líquido a 196°C abaixo de zero.

Quantos óvulos devem ser congelados?

As especialistas aconselham entre 12 e 18, um número suficiente para garantir diversas fertilizações in vitro (FIV) futuras.

Continua após a publicidade

Por quanto tempo podem ficar congelados?

“Por tempo indefinido!”, diz a dra. Karina, que assegura que eles mantêm as características do dia em que foram congelados.

E quando a mulher decide descongelar o que acontece?

“Quando a mulher quer engravidar, o procedimento que deve ser realizado é a fertilização in vitro (FIV)“, explica a dra. Carolina. Para tanto, é preciso ter os exames em dia e o acompanhamento com o especialista.

Tudo começa com o preparo do útero com medicações, aí os óvulos são descongelados, o sêmen é colhido e se faz a fecundação. O embrião é colocado diretamente dentro do útero e espera-se para ver se acontece a gestação.

Quanto custa tudo isso?

O preço ainda é alto e a dra. Carolina avisa que os convênios médicos não costumam cobrir nenhuma das despesas.

Segundo o dr. Edson Borges, diretor do Fertility Medical Group, que faz o procedimento e o congelamento no local, o preço varia de R$ 15 mil a R$ 17 mil por tratamento de criopreservação de óvulos. Além disso, é preciso pagar uma taxa de manutenção ao laboratório – o valor na Fertility é de R$ 900 por ano.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.