Mães de bebê do sexo masculino têm maior risco de depressão pós-parto

Risco ocorre tanto na gestação de meninos quanto em partos complicados

Mulheres que dão a luz a um bebê do sexo masculino possuem risco maior de sofrer de depressão pós-parto. É isso que aponta uma pesquisa feita pela Universidade de Kent, que comparou o risco entre mães de meninos e meninas. 

Nessas mulheres, o risco aumenta de 71 a 79%. E o risco é ainda maior – cerca de 174% – para mulheres com complicações ocorridas durante o trabalho de parto.

Segundo o estudo, isso ocorre pelo fato de que as respostas imunológicas e inflamatórias exacerbadas estão envolvidas em muitos quadros de depressão, incluindo também o de depressão pós-parto. E já é fato científico que, tanto na gestação de meninos quanto nos partos complicados, há um aumento da atividade imunológica inflamatória.

Outro fato interessante é que mulheres que sofrem de ansiedade ou depressão durante a gravidez costumam ser mais cuidadas após o parto, com melhor rede de apoio e suporte. Como consequência, em muitos casos isso diminui as chances de depressão pós-parto, ao contrário das mulheres sem antecedentes de depressão que acabam não recebendo o acompanhamento ideal necessário.

A pesquisa reforça a importância da prevenção de depressão pós-parto e não apenas o desenvolvimento de novos psicofármacos para o tratamento. Afinal, trabalhos de apoio, psicoterapia e orientações psicoeducativas podem ser essenciais para prevenir episódios depressivos de mulheres após a gravidez.

Leia também: A pílula anticoncepcional pode estar mudando a forma do seu corpo

Maternidade equivale a mais de dois empregos, mostra pesquisa

Siga CLAUDIA no Instagram