CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

São Paulo libera 2ª dose da Pfizer em grávidas que receberam AstraZeneca

A decisão foi tomada a fim de completar a imunização de cerca de 9 mil grávidas no estado

Por Da Redação Atualizado em 21 jul 2021, 19h25 - Publicado em 21 jul 2021, 17h40

A partir desta sexta-feira (23), grávidas e puérperas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca poderão completar a imunização com a segunda dose do imunizante da Pfizer. A determinação foi anunciada pelo governo do Estado de São Paulo nesta quarta-feira (21).

Até o momento, o Estado pedia para que os municípios seguissem as orientações do Ministério da Saúde. Assim, a segunda dose do mesmo imunizante utilizado no primeiro momento de vacinação era aplicada 45 dias após o parto.

No entanto, uma nova postura precisou ser tomada depois da AstraZeneca ter sido suspensa e contraindicada para gestantes em maio, após recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) devido a uma “reação adversa”. Desde então, grávidas e puérperas passaram a receber a primeira dose apenas da CoronaVac e Pfizer, enquanto as mulheres que já haviam tomado a AstraZeneca aguardavam orientação. 

Segundo Regiane de Paula, coordenadora do programa estadual de imunização, mais de 9 mil grávidas do estado iniciaram a imunização com a AstraZeneca. Essas mulheres devem procurar os postos de vacinação, seguindo a data já agendada para receber a segunda dose, para receber o imunizante da Pfizer.

Após a decisão, São Paulo se torna o primeiro estado brasileiro a assumir a postura integral de combinar os imunizantes. O mesmo posicionamento foi tomado pela prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, em junho, para completar o esquema vacinal destas mulheres que já haviam iniciado a imunização com a AstraZeneca.

Continua após a publicidade

Publicidade