Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Em Quebrando o Tabu, Bial fala de depressão: “Não é vergonha pedir ajuda”

O apresentador participou do episódio de estreia da nova temporada do programa da GNT e reforçou a importância de reconhecer e validar a doença.

Por Nathalia Giannetti - Atualizado em 15 jan 2020, 11h59 - Publicado em 6 ago 2019, 11h11

No episódio de estreia, que foi ao ar na noite de ontem (5), a segunda temporada do programa ‘Quebrando o Tabu’, do canal GNT, contou com o importante depoimento do  jornalista Pedro Bial.

Seguindo a mesma proposta do ano anterior, a série documental promete debater vários temas polêmicos, e, para o retorno, o assunto escolhido foi a depressão.

Conforme contou o apresentador de ‘Conversa com Bial‘, que estava entre os convidados para falar sobre sua experiência com a doença, a primeira crise depressiva que sofreu foi aos 40 anos e teve duração de seis meses.

No entanto, sua luta não parou por aí e continua até hoje. “Eu vejo uns sinais de depressão aparecendo, já tomo algumas medidas. As coisas que as pessoas falam para os deprimidos são muitos infelizes, depressão não é frescura. A minha fase crítica durou uns seis meses, mas o processo todo, quase dois anos, entre cair e levantar. Não é de uma hora pra outra”, disse.

Outro ponto tocado por Pedro Bial é o tabu persistente sobre o transtorno na sociedade, que o trata como algo vergonhoso:

“Chame de doença, chame de sofrimento psíquico, chame de patologia psicológica ou psiquiátrica. Chame como quiser! Mas a reconheça como um joelho quebrado, uma dor de barriga. Ninguém fica com vergonha de tomar remédio pra dor de barriga ao invés de sair todo cagado por aí. Ninguém tem vergonha de engessar o pé porque quebrou. Ninguém acusa o outro porque teve um câncer de pulmão. Agora, porque o cara tem um problema na cabeça e está deprimido ou ansioso. Isso é vergonha? Você procurar um médico? Não é vergonha nenhuma pedir ajuda.”

Confira esse e mais outros depoimentos aqui na íntegra.

Continua após a publicidade
Publicidade