Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Elas chegaram para ficar! Como escolher e usar corretamente sua máscara

Com a volta gradual dos serviços, saber qual o melhor tecido para a máscara e tomar alguns cuidados na hora do uso será ainda mais essencial

Por Gabriela Maraccini (colaboração) - Atualizado em 13 jul 2020, 13h50 - Publicado em 13 jul 2020, 12h00

A pandemia da Covid-19 mudou a rotina de todo mundo – e ninguém poderia prever o tamanho do impacto. Diante deste cenário, as máscaras acabaram por se tornar item indispensável. E certamente elas ainda vão acompanhar nosso dia a dia por um bom tempo.

Saber usar corretamente, escolher o melhor tecido – no caso das máscaras não-descartáveis – e, principalmente, se atentar aos cuidados necessários durante o uso, é o diferencial para se proteger e não correr o risco de se contaminar por descuido. A médica infectologista Thaís Guimarães, da Sociedade Paulista de Infectologia, contou a CLAUDIA algumas das principais orientações. Preste atenção!

Vai usar máscara de tecido? Cuidado com as muito finas!

“Há várias opções de máscara de tecido, até porque a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não especificou qual é o ideal. Mas temos que nos atentar a dois fatores: se a máscara vai permitir a respiração e se terá uma mínima capacidade filtrante”, explica Thaís. “Um tecido muito fininho, a pessoa vai conseguir respirar normalmente, mas a máscara não vai fazer a filtragem. Ao contrário do tecido muito grosso, em que ela não vai conseguir respirar direito, mas ele tem uma eficácia de filtração maior”.

Logo, a médica afirma que o ideal é escolher um tecido que esteja no meio termo entre muito fino e muito grosso. Opte por máscaras de brim, sarja ou até mesmo de algodão com dupla camada.

Continua após a publicidade

De quanto em quanto tempo é preciso trocar a máscara de tecido?

Apesar de ainda não haver um estudo que mostre por quanto tempo uma máscara de tecido consegue ser eficaz para proteção contra a transmissão do coronavírus, é preciso se atentar ao uso prolongado. “Conforme você vai falando, a máscara de tecido acaba ficando molhada”, explica Thaís. Por isso, procure trocar de máscara a cada quatro horas de utilização.

Como devo lavar a máscara de tecido?

Uma das dúvidas recorrentes é a respeito da higienização das máscaras de tecido após o uso. Thaís explica que não há problema em lavá-la junto com outras peças de roupa. Inclusive, por se tratar de uma peça pequena, pode até ser lavada manualmente.

“Não é preciso colocar em um saquinho para bater na máquina. E não há problema em colocar junto com outra roupa, porque não existe contaminação do vírus de uma roupa para outra”, explica a infectologista.

Se eu estou usando a máscara descartável, de quanto em quanto tempo devo trocá-la?

“O ideal é que as máscaras descartáveis cirúrgicas sejam utilizadas pelos profissionais de saúde, já que têm uma eficácia maior e um certificado de capacidade filtrante”, alerta Thaís. “Mas se a pessoa comprar a descartável e quiser utilizá-la, a recomendação é que a use por até seis horas. Ela não vai perder sua capacidade filtrante, mas, assim como a de tecido, ela também fica molhada com a fala e será preciso trocá-la”, esclarece.

Continua após a publicidade

Como devo descartar corretamente a máscara cirúrgica?

É importante colocar a máscara descartável depois do uso em um saco plástico fechado antes de depositá-la no lixo comum. “É um cuidado para que não contaminemos as pessoas que irão recolher esse lixo depois”, explica a médica. Também, lembre-se de não descartá-la junto com os materiais recicláveis!

Quais cuidados devo tomar durante o uso da máscara?

Primeiramente, atente-se para que a máscara cubra corretamente o nariz e a boca. “Eles são as portas de entrada e de saída do vírus. Para cobrir o nariz e a boca, a máscara deve encaixar na parte de baixo do queixo. Se eu deixá-la acima, conforme for falando, ela sairá do lugar”, alerta Thaís.

Em segundo lugar, ela não pode ficar folgada em seu rosto. “Se ela ficar frouxa, vai ter alguma abertura lateral e não terá a eficácia para qual ela foi feita, já que o vírus poderá entrar e sair também”, explica. “O ideal é que ela não te machuque, mas fique bem adaptada ao seu rosto”, completa a médica.

Atente-se, ainda, ao clipe nasal aquele ferrinho que fica na parte de cima da máscara. Ele deve ser ajustado ao seu nariz. “Parece meio óbvio, mas vejo muitas pessoas usando essa parte no queixo e é errado. O clipe serve para você adaptar a máscara no osso do nariz, para que fique confortável e não deixe abertura”, orienta.

Continua após a publicidade

Evite tocar na parte externa da máscara

Quando a máscara estiver lavada, ainda sem uso, não há problema em tocar na parte externa. Mas, uma vez que ela está em seu rosto, evite encostar nela.

“Se você tocar na parte externa e depois, por exemplo, coçar o olho, a sua mão será veículo de transmissão do vírus e você pode se contaminar”, explica Thaís. Se for preciso tocar na parte externa para ajeitar a máscara em seu rosto, higienize a sua mão antes e depois de fazer o ajuste.

Tire a máscara pela lateral

Na hora de retirar a máscara, quando já estiver em casa ou quando precisar trocar, utilize os elásticos da lateral, evitando tocar na parte externa, como dito anteriormente. No caso das máscaras que são amarráveis, desamarre as hastes para retirá-las.

Cuidado com práticas que dão falsa sensação de proteção

Ao contrário do que muitos pensam, usar luvas não é recomendado para a população geral ou seja, quem não é profissional da saúde. “A luva oferece uma falsa sensação de segurança. Se você usá-la o dia inteiro, toda superfície que encostar vai contaminá-la e não se deve higienizá-la”, alerta. “A luva é para o profissional de saúde cuidar de pacientes que estão sangrando e com secreção”, explica a médica.

Continua após a publicidade

Também não é seguro utilizar duas máscaras ao mesmo tempo. “Não existe comprovação de que usar duas máscaras é mais eficaz. Então, uma só – bem adaptada – é o suficiente”, orienta.

O que você precisa saber sobre gravidez em tempos de pandemia

Publicidade