Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

‘Doença do pombo’ mata duas pessoas em São Paulo

Também denominada 'criptococose', a praga é ocasionada por fungos que se proliferam nas fezes da ave

Por Da Redação Atualizado em 17 fev 2020, 14h43 - Publicado em 8 ago 2019, 11h30

Duas pessoas morreram no último mês em Santos, Litoral de São Paulo, em decorrência da criptococose, conhecida popularmente como “doença do pombo”. Foram elas o empresário José Wilson de Souza, de 56 anos, que chegou a ficar em coma e faleceu no dia 18 de julho, e o cinegrafista Mauro Sérgio Gil Senhorães, de 43 anos, que morreu no dia 23 do mesmo mês.

Veja o que está bombando nas redes sociais

Ambos ficaram internados durante quatro meses em hospitais distintos. De acordo com familiares, antes de contraírem a doença, os homens tinham vida ativa e eram sadios. Os sintomas apresentados por eles eram semelhantes, tais como: intensa dor de cabeça, febre, tontura, falta de ar e fadiga.

A criptococose é ocasionada por fungos que se proliferam nas fezes dos pombos – por isso o nome popular. Eles se espalham pelo ar e, ao serem inalados pelas pessoas, os microorganismos se instalam no pulmão e, posteriormente, migram para o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal).

Vítimas da Doença do Pombo
Doença do Pombo mata duas pessoas em Santos, litoral de São Paulo Arquivo Pessoal/Reprodução

Uma das formas de prevenção é evitar o contato com animais e lugares onde há concentração dos pombos.

Continua após a publicidade

Segundo a Secretaria de Saúde de Santos, a doença não é de notificação obrigatória pelas unidades de saúde públicas e particulares e, por isso, não há dados sobre ela. No entanto, são feitas ações educativas para prevenção e controle de pragas urbanas, além da fiscalização de áreas e imóveis onde há presença de pombos.

Leia também: Mãe faz alerta após filho ter queimadura solar mesmo usando protetor

+ Surto de sarampo: tire as principais dúvidas sobre a doença

Podcast: Carga mental: você se sente sobrecarregada em casa?

 

Continua após a publicidade
Publicidade