Clique e assine com até 75% de desconto

Ácido hialurônico: descubra tudo que ele pode fazer pela sua pele

Prazer, você acaba de conhecer o seu mais novo melhor amigo contra rugas, ressecamento e linhas de expressão.

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 16 jan 2020, 14h40 - Publicado em 3 Maio 2018, 21h53

Imagine um produto capaz de prevenir o envelhecimento da cútis, reduzir marcas do tempo e, ainda, promover uma hidratação poderosa para o rosto. Parece sonho? Pois saiba que esse ativo existe, atende por ácido hialurônico e está naturalmente presente no tecido conjuntivo do nosso corpo, sendo encontrado em maior quantidade na pele (cerca de 50% faz parte exclusiva do órgão, em comparação ao resto do organismo).

Como explica a doutora Valéria Marcondes, dermatologista da Clínica de Dermatologia Valéria Marcondes e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o ácido entra na categoria química dos polissacarídeos – ou seja, é classificado como um tipo de “açúcar” natural e muito grande, e um dos principais componentes da estrutura em que as células da nossa pele se encontram. Além de tudo, ele tem papel essencial na retenção de umidade da pele, de maneira que uma única molécula dele é capaz de conter até mil vezes o seu peso, em água.

“É essa capacidade de armazenar água que faz com que o ácido hialurônico seja muito importante, fundamental para a pele. De certa forma, ele age como uma esponja, retendo grandes quantidades de água”, revela a médica ao MdeMulher.

A ação do ácido no corpo seria perfeita, caso não existisse o fator tempo para contribuir com a sua ineficácia: com o passar dos anos e à medida que envelhecemos, a produção natural de ácido hialurônico pelo organismo vai ficando cada vez mais lenta, o que acaba contribuindo para a perda de brilho e desidratação da pele – coloque na conta, como consequência, as rugas e linhas de expressão.

Tudo que o ácido hialurônico pode fazer pela sua pele
katerinchik73/ThinkStock

Ainda não inventaram nada capaz de parar o tempo, mas você não precisa se desesperar. A boa notícia é que o potente ativo, hoje em dia, já pode ser incluído normalmente na sua rotina de cuidados com a pele. Encontrado em diferentes fórmulas, seu uso é capaz de trazer muitos benefícios, como redução da aparência de linhas finas e rugas, firmeza, melhora na hidratação e textura do rosto.

Continua após a publicidade

Como usar e por quê?

Valéria conta que são três as maneiras mais conhecidas de usar o ácido hialurônico de fora para dentro. A primeira, mais dolorida (e cara) delas, consiste em aplicá-lo em consultório médico, por meio de injeções na derme, a fim de contornar, preencher e sustentar a pele de partes do corpo como face, mãos, colo e pescoço – esses são os chamados preenchedores dérmicos.

Outra alternativa, que chegou ao Brasil há apenas alguns anos, é o uso oral do ácido, que funciona bem para hidratar a pele e todas as estruturas corporais onde o colágeno pode ser encontrado. Aqui, seu uso é recomendado para pacientes a partir dos 40 anos, de modo que ele aparece em forma de cápsulas, os chamados dermocosméticos. As cápsulas ajudam, ainda, a evitar o desgaste das articulações, bem como flacidez e envelhecimento para quem costuma se expor ao sol.

Entretanto, o jeito mais simples de aplicar o ácido hialurônico na pele é de maneira tópica, lançando mão de cremes hidratantes e séruns que contêm o ativo como ingrediente chave em sua fórmula: “Devido à sua molécula ser muito grande para penetrar até a derme, existem benefícios em usá-lo na superfície da pele. Ela [a molécula] atua junto com o hidratante através de suas propriedades de atrair água, e isso mantém a superfície hidratada, flexível e funcionando efetivamente como uma barreira. Esses cremes produzirão uma melhora temporária nas linhas e rugas”, esclarece Valéria.

Tudo que o ácido hialurônico pode fazer pela sua pele
BLACKDAY/ThinkStock

O ácido em creme pode ser usado tanto para prevenir as rugas, em adultos na faixa dos 20 aos 30 anos, quanto para quem tem pele mais madura – mas o melhor a fazer, sempre, é consultar sua dermatologista antes de iniciar o tratamento. Como já dissemos, nesse caso seu papel na hidratação do rosto é essencial, e age junto com a prevenção das marcas de expressão.

Claudia Marçal, dermatologista e membro da SBD, recomenda que a aplicação tópica de cremes ou séruns com o ácido faça parte da rotina de cuidados diários com a pele: primeiro vem a limpeza, depois tonificação e, por fim, o creme, que também pode incluir na fórmula antioxidantes e silício, para manter a elasticidade e turgor da pele.

Alimentação

É importante ressaltar que o ácido hialurônico não é encontrado apenas no corpo ou em produtos manipulados. Ele está igualmente presente em alguns alimentos, que podem ser adicionados à dieta com o objetivo de potencializar seu efeito. Eles são, principalmente, a batata-doce e os chamados Bioflavonóides – mirtilo, semente de uva, chá verde e farelo de arroz -, que ajudam na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares.

Continua após a publicidade
Publicidade