Clique e assine com até 75% de desconto

Ocupação feminina cresce na Câmara do Rio que tem 1ª lésbica assumida

Entra no Legislativo municipal a viúva de Marielle Franco, que se apresenta como a primeira vereadora assumidamente lésbica. Mais votada é mulher negra

Por Da Redação 16 nov 2020, 14h06

A ocupação feminina vai aumentar na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Foram dez mulheres eleitas. Dos 51 vereadores eleitos, 10 são mulheres. Em 2016, foram sete. Entre as eleitas, a primeira assumidamente lésbica teve mais de 22 mil votos.

A viúva de Marielle Franco, Mônica Benício (PSOL), feminista e militante dos Direitos Humanos foi 11ª mais votada da cidade, entre homens e mulheres candidatos. Mônica concorreu pelo mesmo partido de Marielle, vereadora que foi assassinada em uma emboscada em março de 2018. Tanto Mônica quanto Marielle são nascidas no Complexo da Maré.

Neste ano, a mulher mais votada, a petista Tainá de Paula teve mais de 24,8 mil votos.  Ela se identifica como mulher preta, arquiteta e urbanista e ativista das lutas urbanas. Além de Tainá, as vereadoras que não se declaram brancas são mais três: Tânia Bastos (Republicanos), Laura Carneiro (DEM) e Thaís Ferreira (PSOL).

Continua após a publicidade
Publicidade