Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Promotores interrogam João de Deus pela segunda vez

Médium nega ter abusado sexualmente de mulheres

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 11h57 - Publicado em 14 jan 2019, 18h16

O Ministério Público de Goiás interrogou nesta segunda-feira (14) João de Deus. A oitiva do médium ocorreu no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia, onde ele está preso suspeito de abusos sexuais, e durou cerca de três horas.

Os promotores chegaram às 14 horas ao Complexo Prisional e o interrogatório teve início por volta das 15h30, após interlocução com a defesa e a disponibilização do réu para a oitiva.

Leia maisMP-SP pede apuração de ligação de João de Deus com tráfico de bebês
Juíza diz que saúde de João de Deus não exige transferência para hospital

Esta é a segunda vez que a força-tarefa interroga o réu, o novo depoimento vai compor a segunda denúncia contra João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, por crimes sexuais.

O teor do depoimento não foi divulgado, mas o médium sempre negou ter abusado sexualmente de mulheres. A oitiva realizada pelos promotores Patrícia Otoni, Luciano Miranda Meireles e Augusto César Souza.

Ele está preso preventivamente desde o dia 16 de dezembro sob suspeita de cometer crimes sexuais contra pessoas que procuravam tratamento espiritual. No dia 28 de dezembro, o Ministério Público protocolou a primeira denúncia contra o investigado. Foi recebida pelo Judiciário no dia 9 de janeiro, a partir de quando tornou-se réu.

Os promotores da força-tarefa foi criada pelo procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, no dia 10 de dezembro de 2018, quando foi criado um canal específico para o caso: denuncias@mpgo.mp.br. Desde então trabalha de forma ininterrupta para atender as vítimas, colher seus depoimentos e proceder com as medidas judiciais cabíveis.

Continua após a publicidade
Publicidade