Políticos do Canadá querem acabar com salto alto obrigatório

Projeto de lei propõe o fim da exigência de sapatos de acordo com o gênero nos locais de trabalho

Muitas empresas exigem que os funcionários usem determinado tipo de sapato de acordo com o sexo, gênero ou identidade de gênero, o que causa muito desconforto para algumas pessoas. Andrew Weaver, líder do partido canadense Green Party quer dar fim a essa história em restaurantes. A primeira-ministra da Colúmbia Britânica, província do Canadá, concorda e amplia a questão.

No início desta semana, ela defendeu que é inaceitável e fora de mora que isso seja um requisito em qualquer profissão em sua conta no Twitter. Na publicação, ela compartilhou uma matéria de um jornal local sobre o projeto de lei do Green Party que defende que mulheres não sejam obrigadas a usar saltos em restaurantes, como é comum na Colúmbia Britânica – e em muitos lugares do mundo. Segundo o jornal CBC News, ela não disse se vai apoiar o projeto de Weaver, protocolado no dia 8 de março.

“Esta é uma questão de direitos humanos. Eu não entendo como as pessoas ainda fazem isso em 2017. O que eu fiz no projeto de lei é tornar ilegal para um empregador exigir calçados diferentes dependendo do seu sexo, gênero ou identidade de gênero“, defendeu Weaver em entrevista a CBC.